Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Um Ano de Corona - Economia

stock-exchange-4878214_1920.jpg

 

Há exactamente um ano, a 27 de Fevereiro, o então ministro da Saúde Bruno Bruins anunciou ao vivo numa conferência de imprensa o primeiro caso de coronavírus diagnosticado na Holanda. Seguiu-se um dos anos mais difíceis da história recente, onde muitas pessoas foram afectadas pelo vírus (Um Ano de Corona - Saúde). Devido aos necessários confinamentos e restrições, muitas lojas tiveram de ser fechadas, cafés e restaurantes foram encerrados e foram emitidos conselhos negativos para as viagens, com todas as consequências para a economia. 

Uma ano de números. Um ano de pessoas.

Economia

Agora sentimos as consequências do vírus na economia: os cabeleireiros estão fechados, não é possível comer fora e, para viajar, contamos principalmente com a Holanda, já que viagens para o exterior estão desaconselhadas ou muito restritas. Fica por vezes mais caro a realização dos testes ao covid-19 para viajar do que propriamente o bilhete de avião.

Todas essas restrições significam que simplesmente não gastamos tanto dinheiro, com consequências importantes para a economia holandesa. A economia dos Países Baixos encolheu 3,8 por cento em 2020: a maior descida já registada, mais até que durante a crise de 2009.

Poupanças

O fato de podermos gastar menos, reflecte-se na economia: a Holanda economizou 42 mil milhões de euros a mais em 2020. O dobro do ano anterior. As contas poupança somava mais de 487 mil milhões de euros no final do ano passado, 97 mil milhões dos quais em produtos de investimento.

Desemprego

Os cofres mais bem cheios também significam menos dinheiro a circular na economia, o que obviamente, gera problemas para as empresas. Elas registam um declínio nas receitas, e é por isso que estão rapidamente à procura de formas de reduzir custos.

Uma das formas de redução de custos leva a um aumento significativo no número de desempregados: de mais de 250.000 no primeiro trimestre de 2020 para um pico de 419.000 no terceiro. Nos últimos três meses de 2020, o número voltou a diminuir. O pico do terceiro trimestre ficou ainda assim abaixo do de 2014, quando a Holanda tinha quase 700.000 desempregados.

Falências

Embora muitas empresas e empresários estejam a passar por dificuldades, isso ainda não se reflecte no número de falências na Holanda. Na verdade, a cortina caiu para 2.703 empresas no ano passado, o menor número desde 2000.

Parece que muitas empresas conseguem seguir em frente com o apoio do governo. Espera-se, portanto, que o número de falências aumente este ano, à medida que o apoio for extinto.

Divida Nacional

Este apoio extra para as empresas, como o apoio salarial NOW ou o subsídio de custo fixo (TVL), bem como a redução dos gastos do consumidor, é reflectido no balanço do governo.

Os gastos públicos estão a aumentar devido aos amplos pacotes de ajuda, enquanto, por outro lado, há menos receita com impostos porque as pessoas gastam menos dinheiro. A combinação faz com que o governo gaste 43 mil milhões de euros a mais do que foi calculado pelo orçamento. Como resultado, a dívida nacional subiu para 379 mil milhões de euros. Mesmo assim a dívida tem vindo a baixar desde Setembro de 2020, onde atingiu o pico de 386 mil milhões.