Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Prejuízos do Confinamento Ascendem aos Dois Mil Milhões, Calcula a INretail

Imagem de nali_wike por Pixabay

 

A perda de facturação para os lojistas após quase três semanas de confinamento é de mais de dois mil milhões de euros. Cálculo da organização da indústria INretail. Vendas on-line e opções de Click & Collect não oferecem a compensação suficiente. Além disso, apenas um número limitado de empresários é elegível para um apoio para custos fixos (TVL). 

 

INretail, MBK-Nederland e o Raad Nederlandse Detailhandel (RND) argumentam a favor da reabertura das lojas após 14 de Janeiro. De acordo com as associações empresariais, a necessidade agora é muito maior do que durante o confinamento anterior e a abertura é extremamente necessária.

Diretor do INretail, Jan Meerman: "Os lojistas lutam contra dívidas fiscais significativas devido ao longo confinamento anterior. Só para fechar novamente durante a época mais movimentada do ano, o Natal. Já estamos a lidar com um buraco de dois mil milhões de euros, basta calcular quais serão os danos se o confinamento durar ainda mais do que meados de Janeiro. Por favor, abram essas lojas novamente. Se necessário, com a introdução de uma verificação QR na chegada."

O director da RND, Eus Peters, quer reunir-se com o novo governo na próxima semana para discutir as condições sob as quais as lojas podem receber clientes novamente. “É tão doloroso ver que uma cidade como Antuérpia recebe tantos consumidores holandeses. Porque é possível fazer compras seguras. Ao admitir menos clientes por metro quadrado, entre outras coisas.

Muito Rigido

O MKB-Nederland afirma por meio de um porta-voz que medidas muito rígidas não são boas. Tanto económica quanto socialmente. "Temos experiência com o que é possível nas lojas.'' A INretail fez esta semana uma pesquisa entre os consumidores sobre o encerramento das lojas. De acordo com Jan Meerman, essa abordagem rígida garante que o apoio para o confinamento desapareça rapidamente. “Fizemos entrevistas nas ruas e perguntamos aos consumidores o que eles acham do confinamento. Oitenta por cento dizem que estão completamente fartos e querem relaxar nas medidas.”

Quando se trata de pacotes de apoio governamental, as associações comerciais esperam garantir que o TVL (apoio para despesas fixas) não seja mais calculado com base na facturação trimestral, mas com base na facturação mensal. Segundo Meerman: "Qualquer pessoa que facturou bem de 1 de Outubro até o final de Novembro pode, portanto, ficar de mãos vazias, mesmo que nenhum euro tenha sido ganho no último mês de 2021. Só há direito à TVL após uma perda de 20 por cento do volume de negócios em comparação com o quarto trimestre de 2019. Até agora, apenas 10% dos empresários são elegíveis para isso. Então isso não ajuda."

O governo sempre disse que é muito complexo ajustar o esquema de apoio, mas de acordo com Meerman isso é um disparate. “Posso imaginar isso no primeiro confinamento, mas estamos quase há 2 anos nisto. Então houve realmente tempo para ajustar alguma coisa.” 

Os negócios também não vão bem na indústria da restauração. Assim como nos lojistas, os empresários esbarram em regulamentações que não são flexíveis. Arjen Schrama, directora executiva da Wagamama, rede de restaurantes que serve pratos asiáticos, diz sobre isso. “Temos oito restaurantes na Holanda e temos direito à TVL devido ao confinamento. Apenas o valor máximo por empresa é fixado em 2,3 milhões de euros. É isso que você ganha quando tem um restaurante, mas também quando tem oito. Como nós. Essa quantia é completamente insuficiente para nós. É uma falha nos regulamentos e, juntamente com colegas de outras empresas, estamos a tentar deixar isso claro para o novo governo."

Acção Legal

Se a mudança for negada novamente, os empresários consideram uma acção judicial. “Nas últimas semanas, nossa empresa já sofreu alguns milhões de danos. Isso deveria ser compensado de forma mais generosa.”

O ministro dos Assuntos Económicos, Stef Blok, prometeu que em janeiro será verificado o que mais pode ser feito. Mas o novo governo, que tomará posse na segunda-feira, terá que tomar a decisão sobre isso. Em qualquer dos casos, um grupo de trabalho especial está já a ser formado para examinar os casos mais urgentes. Mas nunca será perfeito, disse Blok no último debate sobre a pandemia. “Nós realmente fazemos o nosso melhor para evitar o máximo de danos possível, mas nunca será 100 por cento bem sucedido.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.