Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portuguesa na Política Holandesa

Teresa Marcos - D66

 

A partir já de amanhã e até quarta feira, 17 de Março, decorrem nos Países Baixos as Eleições Gerais 2021 para a escolha dos deputados que vão representar a sociedade na Tweede Kamer. Normalmente estas eleições não nos dizem respeito, já que como portugueses, não podemos votar. Mas este ano há algo de diferente.

 

Em 2021 há uma portuguesa inscrita na lista de candidatos a deputados por um partido holandês.

Portuguesa por nascimento, holandesa por casamento, a semente da política nasceu durante a Revolução de Abril em Portugal. Emigrou para a Holanda e durante 2014 a 2018, Teresa Marcos foi deputada municipal pelo partido D66 no município de Velsen. Já nessa altura era a única pessoa de origem portuguesa conhecida na política no país. Foi esse conhecimento dos problemas locais que a fez ver que as suas soluções passam pelo nível nacional e por esse motivo decidiu candidatar-se a deputada nacional pelo seu partido. 

Dá igualmente formação no curso Politiek Actief na ProDemos, uma organização que é nas próprias palavras, a "Casa para a Democracia e o Estado de Direito". Ajudam e explicam o sistema que governa a democracia e o Estado de Direito nos Países Baixos e mostram como os cidadãos podem exercer influência política a nível municipal, provincial, nacional e europeu.

Depois de uma eleição interna no partido D66, conseguiu o seu lugar na posição 66 da lista de candidatos. Embora um lugar difícil para ser eleita, não é impossível caso existam muitos votos de preferência dos eleitores. Tal como ela nos diz, "a esperança é a última coisa a morrer", mas salienta que "mais importante do que obter votos pessoais é, simplesmente votar! Votar é um direito que, conforme experienciei antes do 25 de Abril, não é um direito tão óbvio e natural."