Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugal Prepara-se Para o Pior

foto: Diarmuid Greene https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/

 

O Presidente da Republica, o Professor Marcelo Rebelo de Sousa, alertou para uma terceira vaga, avisou que desta vez a transição tem que ser mais competente, e disse não hesitar em esticar a emergência até ser "necessário". Para o Governo, um aviso: "Não facilitem". Para as oposições, um conselho: "Há tempo para apurar responsabilidades e não faltarão eleições para isso". É preciso falar a verdade e a prioridade é a saúde.

Perante o agravamento da pandemia em Portugal, o Presidente aprovou o prolongamento do Estado de Emergência no nosso país a partir da meia noite de 24 de Novembro até 8 de Dezembro. No discurso de cerca de 10 minutos, Marcelo Rebelo de Sousa explicou as razões que levaram à renovação deste quadro legal por mais 15 dias, o quinto decreto de estado de emergência durante a pandemia, nove meses depois do primeiro.

O Presidente assumiu-se também como responsável pela situação sanitária grave que Portugal atravessa, "uma brutal pressão sobre o SNS, que vai aumentar nos próximos dias e semanas e cumpre evitar que culmine numa situação crítica." Ficou assim registado para a acta pela sua própria voz.

Empenhado em assumir a partir de agora, um papel mais exigente junto dos decisores políticos, Marcelo avisou que não hesitará em prolongar o estado de emergência até onde "for necessário", "finais de Dezembro ou mesmo mais". "Que ninguém se iluda, não hesitarei", afirmou o Presidente, sublinhando que esta renovação passou no Parlamento com mais de 80% dos votos. "Se tudo isto impuser a ponderação em devido tempo de segunda renovação do estado de emergência de 9 a 23 de Dezembro, ou mesmo mais renovações posteriores, que ninguém se iluda: não hesitarei um segundo em propô-las para que o Governo disponha de base suficiente para aprovar o que tenha de ser aprovado", afirmou ainda.

A terminar, Marcelo Rebelo de Sousa falou aos negacionistas que não se esqueçam das pessoas que estão a lutar pela vida nos hospitais.  "Há, de facto, internados e cuidados intensivos Covid-19 que têm direito à vida e à saúde e há doentes não Covid-19 que têm exactamente o mesmo direito à vida e à saúde que os primeiros". Apelou aos espírito de unidade, combate e sacrifico dos portugueses. Deixou uma crítica indirecta ao PCP pela realização do Congresso ao elogiar "o comportamento exemplar das confissões religiosas que têm sabido superar algumas das suas datas mais simbólicas para respeitar os confinamentos."