Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Jihadista Luso-holandesa Detida em Amsterdam

Imagem de Лечение наркомании por Pixabay

 

Aderiu ao Daesh em 2014. Com a queda do califado, esteve num campo de detenção com intenções de regressar a Portugal. Conseguiu entrar na Turquia onde foi detida, depois das autoridades holandesas terem emitido um mandato de captura. Foi detida à chegada a Amsterdam e enfrenta agora um julgamento na Holanda por crimes de terrorismo.

A notícia foi avançada pela imprensa holandesa e pela revista Sábado e foi confirmada por fontes ligadas ao processo. Ângela Barreto viajou para a Síria para se juntar ao Daesh e foi detida na última terça feira à chegada ao aeroporto de Amsterdam de um voo oriundo da Turquia. Hoje com 25 anos, enfrenta agora acusações de pertencer a um grupo terrorista, recrutamento de jovens para o denominado Estado Islâmico e terrorismo. 

Antes de integrar o Daesh, Ângela Barreto vivia na Holanda com a mãe e com família paterna em Portugal. No verão de 2014 viajou, sem conhecimento da família, para a Síria, onde se casou com o jihadista português Fábio Poças em Agosto desse mesmo ano e que conheceu através das redes sociais. Deste relacionamento nasceu uma menina que veio a falecer em 2019 apenas com três anos, atingida por estilhaços de uma explosão no cerco do último bastião do Daesh, em Baghouz.

Com a queda do califado, a luso-holandesa fica detida em Al-Hol na Síria, um campo de detenção destinado a mulheres e crianças do Daesh na companhia de um outro filho mais novo. Entretanto o seu marido Fábio Poças é dado como desaparecido em combate, casando-se então com um outro jihadista português. Nero Saraiva, um membro de grande influência na organização terrorista.

Ainda detida em Al-Hol dá uma entrevista à RTP onde informa que gostava de regressar a Portugal. "Se me aceitarem... Mas ouvi dizer que não têm levado as pessoas de volta. Se me aceitarem, estou disposta a ir. Caso não me aceitem tenho de ver como viver nesta situação."  Mais tarde, numa outra entrevista à Sábado, repetiu o seu desejo de regressar ao nosso país, repetindo que não era "uma ameaça se a Europa decidir aceitar-me de volta."

Em Março de 2020 conseguiu fugir da Síria e em Novembro foi detida na Turquia, depois de se ter apresentado no Consulado da Holanda a solicitar documentos de viagem para si a para o seu filho de modo a conseguir viajar para a Europa. Agora, vinda de Instambul, é detida na Holanda, depois desta ter emitido um mandato de captura internacional em 2015. Enfrenta agora várias acusações de terrorismo e recrutamento de menores.