Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Holanda Antecipa Inicio da Vacinação. Hospitais Apresentam os Seus Próprios Planos

injection-5722329_1920.jpg

 

A Holanda é o último país da União Europeia a começar a imunizar sua população contra a Covid-19. No mês passado, o ministro da saúde De Jonge rejeitou a apresentação do programa de vacinação à UE, dizendo que seria "irresponsável a pressa na vacinação" e que os outros países estavam a começar mais cedo por razões "simbólicas".

Desde o início, o nosso ponto de partida foi: comece com cuidado o mais rápido possível. Todos trabalharam muito durante as férias e, felizmente, agora podemos avançar com responsabilidade”, diz André Rouvoet, presidente do GGD Nederland, a organização responsável pela vacinação. As primeiras doses começam de acordo com o programado a 8 de Janeiro nas regiões de Rotterdam, Utrecht e Hart voor Brabant. Amsterdam, Drenthe e Haaglanden seguem-se a 11 de Janeiro.

Na segunda-feira, 4 de Janeiro, o GGD iniciou o contacto para as primeiras vacinações. Duas mil pessoas vão trabalhar na organização e agendamento e cerca de 350 a 400 enfermeiros qualificados para a administrar a vacina em todo o país.

O ministro da Saúde, Hugo de Jonge, antecipou o início do programa de vacinação Covid na Holanda, depois de os hospitais apresentarem os sues próprios planos de imunização das equipas de cuidados intensivos antes da data programada para 8 de Janeiro. O hospital UMC de Amsterdam disse que começaria a vacinar a equipa que trabalha com pacientes covid assim que recebesse o primeiro lote de 5.000 vacinas da Pfizer.

Desentendimentos

De Jonge já ajustou o plano de vacinação várias vezes para antecipar as vacinas para as pessoas que trabalham em hospitais e lares de idosos, bem como médicos de família, em resposta a apelos de órgãos profissionais. 

Professores, policias e vigilantes municipais também pediram para serem incluídos na primeira dose de vacinas porque seus trabalhos os expõem a um grande número de pessoas. Um porta-voz de um dos sindicatos do ensino AOb disse à agência de notícias ANP: "Percebemos que não estamos no primeiro grupo e que a saúde deve ir primeiro, mas se quisermos colocar as coisas totalmente de volta nos trilhos em breve, devemos garantir que os professores sejam vacinados o mais rápido possível." Sindicatos que representam a polícia e vigilantes comunitários disseram que seus membros deveriam receber a vacina o mais rápido possível, devido ao seu estatuto de "profissão vital". Ruud Kruin, presidente da associação do sindicato dos policias municipais, disse: "Eles têm muitos contactos com outras pessoas, o que significa que estão em maior risco de serem infectados pelo coronavírus."

No sábado, o ministro da saúde, Hugo de Jonge, concordou em reservar as primeiras 30.000 doses da vacina Pfizer para equipas de ambulâncias, equipas de desencarceramento e emergências e aqueles que trabalham nas enfermarias covid e na terapia intensiva. Os médicos de família também foram adicionados posteriormente à lista de prioridades.