Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Creche E BSO Sobem De 10% A 40%, Dependendo Dos Rendimentos

Imagem de Esi Grünhagen por Pixabay

Levar o filho para a creche no próximo ano será consideravelmente mais caro do que este ano. As taxas em muitas organizações de cuidados infantis estão em subida acentuada e, especialmente, os pais com rendimentos baixos e médios sentirão isso nas suas carteiras. A própria contribuição subirá de 10 a 40 por cento em relação a este ano.

 

Preços de energia elevados, rendas em alta e uma enorme escassez de pessoal. Uma conversa com cinco organizações de cuidados infantis de diferentes tamanhos para perguntar como estes crescentes custos se refletem nos seus preços. Também usamos uma pesquisa realizada pela nettobijdrage.nl, uma ferramenta que os pais podem usar para calcular a sua própria contribuição para a creche dos filhos. A pesquisa perguntou a mais de setecentas organizações de assistência à infância sobre os seus preços para o próximo ano.

Isso mostra que as taxas de cuidados infantis (KDV) e cuidados fora do horário escolar (BSO) vão aumentar acentuadamente no próximo ano: em média, 8,5%.

Razões Do Aumento

Alguns locais estão bem acima disso. As taxas devem aumentar de 6 a 10 por cento no próximo ano, diz Adriaan Haans, proprietário dos centros infantis KLEIN em Boxtel. Ele aponta como motivo as negociações de acordos coletivos de trabalho que estão em andamento para este setor, com aumentos de ordenado esperados. "Além disso, o reajuste da inflação é exigido, embora eu duvide que eles consigam."

Uma organização de acolhimento de crianças com quase 50 filiais em todo o país, também pensa que terá de aumentar consideravelmente os preços no próximo ano. O aumento varia de 9,35% em Friesland a 11,15% em Amsterdam. 

A KidsFoundation, a maior organização de cuidados infantis da Holanda, diz que os seus clientes "infelizmente" terão que levar em conta um ajuste de inflação em 2023. A inflação para 2022 tem até agora uma média de 9,5%.

Mas para os pais, o aumento dos preços não é a única preocupação. Os rendimentos baixos e médios, em particular, vão pagar mais do que apenas o aumento de preço. A própria contribuição (ou seja, a parte pela qual não recebe um subsídio de assistência à infância) aumentará relativamente rápido em 2023, calculou Jeroen Pernot da nettobijdrage.nl. Qualquer pessoa com rendimentos até 27.000 euros por ano e que leve duas crianças à creche durante dois dias pagará cerca de 745 euros a mais por esse serviço em 2023. Isso representa um aumento de 40% em relação a este ano.

Os pais com rendimentos até 60.000 euros pagam quase 850 euros a mais. Um aumento de 22 por cento. As famílias que ganham até 120.000 euros por ano veem os seus custos com cuidados infantis aumentarem cerca de 13%, ou mais 1.103 euros por ano.

Rendimentos Mais Baixos

Os custos das organizações de assistência à infância estão a aumentar rapidamente, diz Emmeline Bijlsma, diretora da Brancheorganisatie Kinderopvang (BK). "Mas o subsídio de creche é sempre determinado bem antes do verão. Nessa altura estávamos a lidar com números muito diferentes.

É justamente o grupo de pessoas que você mais desfavorecido no acesso à creche que terá problemas por causa desse aumento de preços, diz Bijlsma. "Não sei os aumentos exatos dos preços por organização, mas conhecemos o efeito. E isso é principalmente difícil para as famílias de menor rendimento, que podem estar sujeitas ao cancelamento dos seus contratos." 

Segundo Bijlsma, isso não se deve apenas aos preços mais altos, mas também à natureza do trabalho desses pais. "Alguém que faz trabalho de escritório ainda pode ter uma criança em casa por meio dia. Isso não é possível na área da produção ou construção. E mais importante: também é ruim para as crianças faltar à creche." 

Devido ao enorme aumento dos custos, é cada vez mais difícil moderar o preço sem comprometer a qualidade, diz Loes Ypma, presidente da Branchevereniging Maatschappelijke Kinderopvang (BMK). "Na visão da BMK, a acessibilidade da creche é principalmente responsabilidade do governo; pedimos aos políticos que sigam isso de perto."

A BMK também pede que os seus associados não passem todos os custos para as suas tarifas. A BMK faz isso na esperança e na suposição de que a política atuará e que o preço máximo por hora aumentará significativamente em 2024. "Damos algum tempo aos políticos para pensarem sobre isso, mas esperamos que o governo também assuma sua responsabilidade depois", diz Ypma.

Imagem Portugueses na Holanda

 

Porque é que os pais se deparam com um aumento de preços tão grande? Isso deve-se a duas razões. 

  • Em primeiro lugar, o facto de o aumento do subsídio de creche estar aquém do aumento dos preços (5,58 por cento contra 8,6 por cento). A creche está se tornando mais cara, mas a compensação que recebe do governo está a ficar para trás. 
  • Mais caras ainda ficam as amas, onde as ajudas diferem das da creche e BSO. O subsidio aumenta de 6,52 euros para 6,73 euros. Este ano, mais de 60% das amas estavam na taxa máxima ou abaixo dela. Isso cairá para cerca de 43% em 2023.

O Limite Do Reembolso

Além disso, a maioria das organizações de acolhimento já cobra uma tarifa horária superior à tarifa máxima estabelecida pelo governo. A pesquisa da nettobijdrage.nl mostra que a taxa horária média deste ano foi de 8,95 euros; 45 cêntimos a mais que os 8,50 euros que o subsídio tem como máximo. No próximo ano a tarifa horária média subirá para os 9,72 euros, pelo que as organizações cobrarão em média 75 cêntimos a mais por hora do que a tarifa máxima do governo.

Para os BSO, a taxa horária média este ano foi de 7,98 euros e espera-se que seja de 8,62 euros no próximo ano. A taxa máxima da ajuda do estado é de 7,31 e aumentará para 7,72. Em 2023, os pais pagarão, portanto, quase um euro por hora a mais para deixar os seus filhos no BSO. 

Os aumentos de preços significam que os pais deixarão de ser reembolsados ​​em até 96%, mas - dependendo do seu rendimento - até um máximo de 84,75% para serviços BSO e 88,6% para creches.

Diferenças Regionais

Imagem de Portugueses na Holanda

 

Os preços diferem também por região, diz Jeroen Pernot, da nettobijdrage.nl. "Não vai surpreendê-lo que as tarifas na Randstad sejam mais altas do que no resto do país, principalmente devido aos custos de renda mais altos e pessoal mais caro." 

Isso é confirmado pelo proprietário de uma creche em Amsterdam, com cinco locais. "A minha equipa não pode morar em Amsterdam, os preços das casas são muito altos para isso. Todos moram fora da cidade, então eu tenho que pagar um ordenado relativamente maior para os compensar nos custos de viagem."

 

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.

Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.