Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Corrida Eleitoral 2021

Imagem de Wokandapix via Pixabay

 

A última vez que tantos partidos concorreram a umas eleições na Holanda aconteceu em 1922. Em 2021, 37 partidos preencheram os critérios para concorrerem a um lugar na Tweede Kamer, a Câmara de Deputados. É esta a instituição responsável por legislar os destinos do país, tal como a Assembleia da Republica em Portugal.

Os grandes candidatos e maiores partidos continuam a ser o liberal VVD (Partido Popular da Liberdade e Democracia) do demissionário Mark Rutte, os centristas e cristãos do CDA (Apelo Democrata Cristão), do CU (União Cristã) e do D66 (Democratas 66). Os de esquerda tais como o PvdA (Partido Trabalhista) e o SP (Partido Socialista) e a esquerda verde do GroenLinks. Do outro lado, temos a direita nacionalista populista PVV Partido Para a Liberdade) de Geert Wilders e o recente FVD (Forum Para a Democracia) criado em 2016.

Há outros partidos menores que vão conseguindo um ou dois assentos parlamentares. O ecologista Partij voor de Dieren (Partido Para os Animais), o 50 Plus, um partido para os seniores ou o DENK, um partido em representação das minorias, especialmente turcas.

Existem depois listas de partidos menos conhecidos. Alguns sérios, que pretendem realmente ser uma alternativa. O evangelista Jezus Leeft (Jesus Vive), Piraten Partij (Partido Pirata) ou o NIDA dos democratas islâmicos. Outros, não tão sérios, tal como o nome ou ideologia política indicam. O De Feest Partij (Partido da Festa), uma lista de critica e sátira governamental ou o Vrij en Sociaal Nederland, um partido criado em 2020 que tem como ideologia a anti-ciência e a recusa da existência de uma pandemia global.

As Eleições

No total, 89 partidos e listas apresentaram as suas candidaturas ao Conselho Eleitoral holandês em Dezembro, que aprovou 37 partidos e listas a concorrerem às próximas eleições legislativas a 17 de Março. Este ano e por motivos da pandemia, as eleições legislativas na Holanda serão realizadas entre o dia 15 e o dia 17 de Março para evitar os ajuntamentos de eleitores nas mesas de voto. Para os grupos de risco está prevista a criação de mesas ou horários exclusivos para votarem em segurança.

A comunidade portuguesa na Holanda não participa nestas eleições, mas elas podem mudar a vida dos estrangeiros que aqui vivem e trabalham. São também as primeiras grandes eleições na Europa após o inicio da pandemia de covid-19 no continente e que também estão marcadas pela demissão do governo devido ao escândalo na atribuição e posterior cobrança judicial de subsídios familiares.

Os Países Baixos são conhecidos pela sua tradicional política de discussão e consenso. Coligações e acordos políticos com um grande número de partidos são a norma em qualquer eleição legislativa holandesa. Uma verdadeira "geringonça" política que nem sempre consegue governar um termo completo de quatro anos. Só entre o período de 1994 e 1998, com o primeiro governo de Wim Kok e mais recentemente, entre 2012 a 2017, o segundo governo de Mark Rutte que foi reeleito depois do seu primeiro gabinete se ter demitido devido a discrepâncias dentro da coligação com o PVV. Mark Rutte concorre de novo a um mandato governamental. Se vencer as eleições, formará governo pela quarta vez.