Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Produção De Energia Renovável Ultrapassa Combustíveis Fósseis Pela Primeira Vez

Imagem de Ulrike Leone por Pixabay

Mais da metade da energia usada na Holanda na semana passada veio de fontes renováveis ​​pela primeira vez, de acordo com o site Energieopwek.nl , uma aliança entre a empresa de gás Gasunie e os grupos nacionais de rede Tennet e Netbeheer Nederland.

 

Quase 54% da energia usada na semana passada foi oficialmente classificada como verde, embora 10% do total tenha sido gerado por biomassa, que os grupos ambientalistas nem sempre consideram sustentável. A energia solar representou 11% e a eólica 31%. Embora o número de turbinas eólicas e painéis solares na Holanda tenha-se expandido consideravelmente, o clima ventoso e ensolarado da semana passada também teve um papel importante na semana recorde.

O uso de biomassa, ou material orgânico, é controverso porque a Holanda importa grandes quantidades de restos de madeira do exterior para queimar em centrais de energia em substituição ao carvão.

A energia nuclear na Holanda representa apenas 4% do total produzido no país. A única central nuclear do país, em Borssele, perto de Vlissingen, tem uma capacidade de produção de 485 MW. Anualmente produz 3,3 milhões de MW/h, o suficiente apenas para as necessidades de uma grande cidade holandesa.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Aumenta O Número De Feridos Graves Em Acidentes Com Bicicleta

Imagem de Claudio Olivares Medina (CC BY-NC-ND 2.0)

O número de vítimas de trânsito com ferimentos graves aumentou 18% nos últimos dez anos, informa o centro de pesquisa SafetyNL. Em 2021, 110.000 vítimas de trânsito foram atendidas nas urgências, 66.600 delas com ferimentos graves.

 

Um terço das vítimas gravemente feridas eram ciclistas com mais de 55 anos e um quarto dessas vitimas tiveram lesões cerebrais. O número de acidentes em que nenhum outro utente da estrada esteve envolvido aumentou 42% desde 2012 entre os ciclistas com mais de 55 anos.

Entre os ciclistas com idades entre 12 e 24 anos, o número de acidentes rodoviários aumentou 19% desde 2012. Esse aumento está claramente relacionado ao uso de bicicletas eléctricas, segundo pesquisa da SafetyNL.

Quem anda de bicicleta eléctrica corre um risco maior de acabar nas urgências do que quem anda de bicicleta normal. Mais pesquisas são necessárias para determinar exactamente quanto maior é esse risco, diz o director Martijntje Bakker, do centro de pesquisa.

Quase 50.000 vítimas de bicicleta entraram nas urgências hospitalares com ferimentos graves em 2021. Mais de dois terços deste grupo teve uma fractura, enquanto um em cada quatro ciclistas gravemente feridos sofreu uma lesão cerebral.

Usar um capacete de bicicleta reduz o risco de lesão cerebral em um terço. Das vítimas de trânsito em bicicleta comum, apenas 3% usavam capacete e em bicicleta eléctrica isso era apenas de 2%.

Mudança Comportamental E Manutenção Rodoviária

O número de acidentes rodoviários entre os ciclistas pode ser reduzido através de uma mudança comportamental e de uma melhor manutenção das estradas. A SafetyNL quer fazer mais pesquisas e defende, entre outras coisas, uma educação de trânsito eficaz e o uso de capacete de bicicleta.

"Andar de bicicleta mantém jovens e idosos em movimento e contribui para uma vida saudável. Acima de tudo, continue a fazer isso, mas não corra riscos desnecessários", diz o director Bakker.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Aumenta O Número De Falências Com O Fim Do Apoio Corona Do Governo

Imagem de DomTotal

Em Março, o número de falências aumentou pelo segundo mês consecutivo em comparação com o mesmo mês de 2021, informa a Câmara de Comércio (KvK). Houve um total de 160 falências no mês passado, 22% a mais do que em Março de 2021. Em Fevereiro, o número de falências foi 17% maior do que em Fevereiro do ano passado.

 

Comparado ao período anterior ao corona, o número de falências ainda era baixo no mês passado. Em 2018 e 2019, uma média de cerca de 250 empresas faliram por mês.

Durante a pandemia de corona, o número de falências caiu drasticamente. Por exemplo, apenas 1.536 empresas faliram em 2021, o número mais baixo desde 1990 . Isso deveu-se principalmente às medidas de apoio do governo criadas para colmatar os efeitos dos confinamentos. Como resultado, as empresas que poderiam ter falido no seu tempo normal também beneficiaram desses apoios e conseguiram sobreviver durante o período da pandemia.

Agora, mais algumas empresas estão a entrar em falência. "Estamos agora em um ponto de inflexão para a comunidade empresarial", diz Joris Knoben, professor de Economia Empresarial da Universidade Radboud. "Muitos empresários ainda lutam com as consequências financeiras da pandemia. Ao mesmo tempo, os custos de energia e a inflação são altíssimos. Portanto, não é surpresa que o número de falências esteja a aumentar."

No início deste mês, as medidas de apoio corona foram descontinuadas. Uma das medidas foi a concessão de diferimentos fiscais às empresas. Eles ainda terão que pagar esse imposto no futuro próximo. Trata-se de um total de cerca de 18 mil milhões de euros.

Mais Problemas

Na semana passada, a KvK disse que centenas de milhares de empresários estão com problemas financeiros devido à combinação de dois anos da crise corona e agora com a invasão russa da Ucrânia, resultando em escassez de matérias-primas e aumento dos preços da energia ainda mais.

Segundo o governo, as falências são dolorosas para os envolvidos, mas também necessárias para uma dinâmica econômica saudável. Há uma grave escassez de pessoal em muitos sectores. Se as empresas fecharem ou falirem, os funcionários poderão encontrar trabalho em lugares onde são mais necessários e com mais facilidade.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Belastingdienst Paga Multa Mais Alta De Sempre. 3,7 Milhões Por Falhas Na Lei Da Privacidade

Bic (Wikimedia Commons), CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

As Autoridades Fiscais serão multadas em 3,7 milhões de euros pela Autoridade Holandesa de Proteção de Dados (AP), porque o Belastingdienst processou ilegalmente dados pessoais no Sistema de Sinalização de Fraude (FSV) durante vários anos anos. Os dados processados faziam parte de uma lista negra com detalhes de vários cidadãos, suspeitos de cometerem fraude.

 

De acordo com a AP, as autoridades fiscais violaram a lei de privacidade da Lei da Privacidade em muitos pontos. A Administração Tributária e Aduaneira não tinha base legal para o tratamento dos dados pessoais constantes da lista. O processamento de dados pessoais é proibido sem base legal.

A lista também não foi devidamente protegida e o supervisor de privacidade interno da Administração Tributária e Aduaneira não foi envolvido na criação da lista a tempo.

A multa é a mais alta que a AP já realizou. Isso deve-se à gravidade das violações, segundo o regulador. O facto de a lista ter tido consequências importantes para muitas pessoas também contribuiu para determinar o valor da multa.

270.000 Pessoas Na Lista Negra Do Belastingdienst

Até Fevereiro de 2020, a Administração Tributária e Aduaneira colou numa lista negr, pessoas de determinada nacionalidade ou por circunstâncias 'suspeitas'. A lista continha cerca de 270.000 nomes. As pessoas na lista não tinham conhecimento de que estavam numa lista de suspeitos de fraude.

De acordo com o presidente da AP, Aleid Wolfsen, as autoridades fiscais "violaram os direitos das 270.000 pessoas na lista de uma forma sem precedentes com o FSV". "Há mais de seis anos. As autoridades fiscais viraram vidas de cabeça para baixo com o FSV", diz Wolfsen.

Mesmo que não estivessem a cometer fraude, os indivíduos poderiam ter problemas por estarem na lista. Por exemplo, alguns não foram autorizados realizarem o pagamento em parcelas às Finanças por estarem a passar por dificuldades financeiras.

Quando pessoas com dificuldades em pagar algo ao Fisco, normalmente acabam no serviço de reestruturação de dívida, sendo feito de forma mais flexível, fazendo acordos com os credores sem o envolvimento de um juiz. Isso não se aplicava às pessoas na lista negra.

O secretário de Estado Marnix van Rij (Autoridades Fiscais e Tributárias) considera a multa de "compreensível". Ele descreveu o julgamento da AP em uma declaração como "dura e inequívoca". Isto "mostra mais uma vez que melhorias fundamentais são necessárias no fisco".

O Ministério das Finanças, ao qual pertence a Administração Tributária e Aduaneira, não recorrerá da coima. O secretário de Estado vê o julgamento da AP como "uma confirmação da necessidade de organizar o processamento de dados de forma diferente, para que as leis e regulamentos sejam cumpridos".

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Os Meses Finais Da Lei Corona

Imagem de Naassom Azevedo por Pixabay

Escolas, creches e profissões de contacto, como cabeleireiros, não podem mais ser restringidas ou fechadas repentinamente pelo governo após 1 de Junho, se o vírus corona ressurgir. O governo tira essas disposições da chamada Lei Temporária sobre Medidas COVID-19 (Twm), escreveu o ministro da Saúde Ernst Kuipers à Câmara dos Deputados na sexta-feira passada.

 

Um tamanho máximo de grupo em locais e restrições para hotéis e parques de férias também serão removidos deste conjunto de medidas do governo em pouco menos de dois meses. Estas medidas não podem, portanto, ser simplesmente anunciadas novamente numa conferência de imprensa.

Se o governo achar essas medidas necessárias em uma data posterior, então um novo projecto de lei deve primeiro ser elaborado e aprovado por ambas as Câmaras (Tweede Kamer - Câmara dos Deputados e Eerst Kamer - Câmara do Senado).

O sexto mandato do Twm começará em 1 de Junho e vai durar até 1 de Setembro deste ano. A lei temporária foi introduzida no início da crise corona para dar uma base legal à primeira legislação e decisões de emergência.

Ainda existem todos os tipos de medidas corona que podem ser implementadas rapidamente. Isso diz respeito, entre outras coisas, à manutenção de uma distância segura, ao uso do passe corona, à restrição ou encerramento de eventos, restauração ou locais públicos, regras para instituições de saúde e para viajantes.

O governo vem trabalhando há algum tempo na elaboração de uma estratégia de como conter a covid a longo prazo. Vários cenários foram criados para isso. O ponto de partida é manter a sociedade o mais aberta possível.

Aos vários sectores também está a ser solicitada a contribuição com com ideias sobre como enfrentar uma possível próxima pandemia. Aliás, o governo não descarta a possibilidade de vários sectores ainda terem que ser fechados no pior cenário possível.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Garantia de Hipoteca Do Governo Abaixo Do Necessário, Diz Associação De Proprietários De Casa Própria

Imagem de Paul Brennan por Pixabay

Casas novas deixarão de ser acessíveis para a maioria das pessoas, diz a Associação de Proprietários de Casa Própria (Vereniging Eigen Huis-VEH). A organização dos proprietários de casas salienta que o limite de NHG* de 355.000 euros é considerado acessível nos planos habitacionais do governo. Mas, de acordo com o VEH, isso não é viável para muitas famílias.

 

Como exemplo, a organização calcula a hipoteca máxima para um canalizador a tempo inteiro e um professor a meio tempo. Isso equivale a uma hipoteca de pouco mais de 280.000 euros. Para um agente da polícia a meio da carreira que vive com uma secretária que trabalha menos de 36 horas semanais, a hipoteca máxima é de 272.000 euros. Um enfermeiro solteiro não receberá mais de 217.000 euros e um académico recém-formado pode ficar feliz se conseguir um empréstimo de 167.000 euros.

De acordo com o VEH, construir casas a preços acessíveis ainda será um grande desafio. “Se a produção da construção não corresponder às possibilidades financeiras e às necessidades habitacionais dos grupos-alvo, a carência habitacional será apenas parcialmente resolvido”. O governo também deve abrir mão do limite no NHG.

Uma análise anterior do jornal Trouw mostrou na segunda-feira que uma casa recém-construída com um preço abaixo dos 200.000 euros está longe de ser encontrada. Mesmo novas casas abaixo dos 300.000 euros são escassas, quase inexistentes. No início de 2017, 60 por cento das casas recém-construídas custavam menos de 300.000 euros, segundo o jornal, agora são apenas 12 por cento. Não resta absolutamente nada na oferta abaixo de 200 mil.

* O NHG

Nationale Hypotheek Garantie (Garantia Nacional de Hipoteca) é uma rede de segurança para o caso de não conseguir mais pagar a sua hipoteca devido a circunstâncias extraordinárias, como desemprego repentino, divórcio ou impossibilidade de trabalhar devido a acidente. Ou se uma dívida residual permanecer após a venda da sua casa. O NHG é uma garantia sobre hipotecas para casas ocupadas pelo proprietário com um preço de compra até ao preço médio da casa. Em 2022, o limite da NHG será de € 355.000.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Dois Mortos Em Acidente Com Autocarro Em Antwerpen. Auto-Estrada Para Breda Cortada Toda A Tarde

Imagem de Belga via BN De Stem

Um autocarro francês a caminho de Amsterdam despistou-se pouco antes de chegar à fronteira holandesa na E19 perto de Breda. O autocarro capotou e em seguida, colidiu com a barreira separadora de betão. Pelo menos duas pessoas morreram e dez ficaram gravemente feridas. A via permaneceu fechada por várias horas. O ministério público belga anunciou que o motorista estava sob a influência de drogas.

 

O acidente aconteceu pouco antes do meio-dia na E19 perto de Sint-Job-in't Goor, a cerca de vinte quilómetros de Breda. "O motorista francês de 35 anos conduzia sob efeito de drogas. Isso foi confirmado por um teste de saliva positivo", disse Lieselotte Claessens, do Ministério Público de Antuérpia. A sua carta de condução foi imediatamente apreendida por 15 dias. O motorista, que não sofreu ferimentos, foi detido logo de seguida. "Ele será interrogado pela polícia." Havia 33 passageiros no autocarro, a maioria deles franceses.

Pelo menos dois passageiros não sobreviveram ao drama. Dez passageiros ficaram gravemente feridos, cinco dos quais estão em estado crítico. Treze pessoas ficaram levemente feridas. Os passageiros foram levados para nove hospitais da região.

Após o acidente, a via foi completamente fechada. Os condutores em direcção a Breda e Rotterdam, que ainda não estavam retidos na enorme fila na E19, foram aconselhados a seguir pela A12 em direção a Bergen op Zoom e através da A29, para Rotterdam.

A polícia ainda não divulgou nenhuma informação sobre a causa da tragédia com o autocarro. O veículo seguia sob a bandeira da plataforma francesa de boleia online, BlaBlaCar. Por meio deste serviço, os passageiros são vinculados aos motoristas que vão fazer uma viagem de carro. A francesa BlablaCar tem 25 milhões de utilizadores e está activa em mais de vinte países além do seu próprio país de origem, principalmente na Europa. Incluindo Holanda e Bélgica. 

"Nossos primeiros pensamentos estão com as vítimas", disse Robert Morel, porta-voz da BlaBlaCar, ao jornal flamengo Het Laatste Nieuws . "Estamos em contacto com as autoridades e com nosso parceiro de autocarros para ajudar as vítimas e entender as circunstâncias do acidente."

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Segunda Desistência De Verstappen. Piloto Cada Vez Mais Fundo Na Tabela

Imagem de Clive Mason via Getty Images

Max Verstappen experimentou um doloroso Grande Prémio da Austrália no domingo. Enquanto o holandês teve que desistir de um Red Bull com problemas, o todo-poderoso Charles Leclerc venceu a corrida em nome da Ferrari. O monegasco agora tem 46 pontos de vantagem sobre o actual campeão mundial no Campeonato do Mundo.

 

Leclerc largou da pole position e não teve mais problemas, apesar de duas situações de safety car. Sergio Pérez aproveitou a falta do seu companheiro de equipa e ficou em segundo lugar com a Red Bull. O mexicano já ultrapassou Verstappen na tabela da classificação.

George Russell terminou em terceiro na Mercedes, à frente do seu líder na Mercedes, Lewis Hamilton. O jovem britânico beneficiou de um safety car virtual e conseguiu ultrapassar o heptacampeão mundial. Hamilton não estava feliz com as escolhas estratégicas da sua equipa.

Verstappen não foi a única desistência significativa. Carlos Sainz saiu da pista com o seu Ferrari na fase de abertura. A equipa da McLaren mostrou mais sinais de recuperação após um início de temporada difícil: Lando Norris chegou ao quinto lugar, com o favorito da casa e companheiro de equipa Daniel Ricciardo atrás dele em sexto.

Alexander Albon tirou um último ponto curioso. O tailandês britânico terminou em décimo na Williams, graças a uma estratégia arriscada. Foi só na última volta que Albon fez seu único pit stop a partir do sétimo lugar, perdendo três lugares, cumprindo o regulamento de pneus e ficando apenas dentro dos pontos.

Na volta 38, Verstappen, que estava na segunda posição, relatou pelo rádio de bordo que sentiu um cheiro estranho dentro do habitáculo do carro. Não muito depois, ele colocou o Red Bull fora da pista, notando-se fumo a sair do carro de competição. Foi o doloroso final de um domingo que já não saiu como planeado pelo actual campeão mundial.

A equipa estava confiante no ritmo de corrida do RB18. Verstappen fez voltas rápidas com os pneus médios na sexta-feira, a borracha com que todos os pilotos de topo largaram. As cartas logo acabaram por ser dadas de forma diferente. Foi Leclerc foi mais rápido, enquanto Verstappen rapidamente informou a sua equipa de que os seus pneus estavam a começar a falhar.

A próxima prova será daqui a duas semanas no circuito de Imola, na Itália.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Maratona Rotterdam 2022

Imagem de ANP via NU.nl

Abdi Nageeye venceu no extremo a 41ª edição da maratona de Rotterdam neste domingo. O holandês de 33 anos quebrou um recorde nacional e também é o primeiro vencedor holandês do evento. Na maratona feminina, Nienke Brinkman ficou em segundo lugar, também com um recorde holandês.

 

Nageeye percorreu os 42,195 quilómetros em um tempo de 2 horas, 4 minutos e 56 segundos. Ele melhorou assim o antigo recorde nacional de 2h06:17, que ele estabeleceu há três anos também em Rotterdam.

Nos metros finais, Nageeye correu lado a lado com o etíope Leul Gebreselassie. O holandês foi um pouco mais rápido mesmo em cima da linha de chegada.

Com sua vitória, Nageeye é o sucessor do seu amigo belga Bashir Abdi, que foi o melhor na cidade portuária no ano passado. Nas 21 edições anteriores, a vitória sempre foi de um atleta do Quénia ou da Etiópia.

Desta vez, Abdi baixou o ritmo no último quilómetro. Ele chegou em quarto com 2h05:23, logo atrás do queniano Kiprop Reuben Kipyego (2h05:12).

Imagem de ANP via NU.nl

Prova Feminina

Na prova feminina, a holandesa Brinkman conseguiu o tempo de 2 horas, 22 minutos e 51 segundos. Ela terminou em segundo e quebrou o antigo recorde holandês de Lornah Kiplagat, que estabeleceu 2h23:43 em Nova York em 2003.

Brinkman de 28 anos só teve que tolerar a passada da etíope Hailu na Coolsingel, que venceu em 2h22:01.

Brinkman só começou a correr a sério desde o início da pandemia de corona. Antes disso, ela era uma ávida jogadora de hóquei. Na Suíça, onde a nascida em Leiderdorp mora e estuda geofísica, ela tornou-se uma das principais maratonistas holandesas num tempo relativamente curto.

No ano passado, ela correu 2h26:34 na sua estreia em maratona, o terceiro tempo mais rápido já estabelecido por uma atleta holandesa. Na sua segunda corrida de 42,195 quilómetros ela já é a holandesa mais rápida de todos os tempos.

Portugueses

Nos atletas portugueses presentes na prova, na corrida masculina, Rodrigo Santos foi o mais rápido com 2h48:12 em 328º lugar e nas mulheres, Ana Lourido foi a 89ª com um tempo de 3h12:18.

Parabéns aos dois e a todos os restantes atletas, portugueses e estrangeiros, pelo desafio superado.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

We Hebben U Gemist - O Aviso Em Papel Da PostNL Vai Acabar

Imagem via Twitter

O PostNL interromperá os avisos em papel a partir de 1 de Julho para aqueles que não estavam em casa para receber a sua encomenda. A partir dessa data, os destinatários só podem ver digitalmente o que precisam fazer para receber a sua encomenda no caso de não se encontrarem em casa, informou a empresa na sexta-feira.

 

O motivo da mudança é que escrever tal notificação leva tempo para o entregador. Também economiza papel: cerca de 70.000 quilos por ano, o equivalente a 206 árvores, segundo a empresa postal. Cerca de 9% das encomendas é a média dos que não encontram o seu destinatário em casa.

O entregador agora ainda escreve uma notificação em papel se uma encomenda não puder ser entregue pessoalmente. Essa notificação indica que a encomenda foi, por exemplo, entregue aos vizinhos ou que foi enviado para um ponto de entrega PostNL. A partir de Julho, os clientes só receberão essas informações pelo aplicativo do telemóvel ou e-mail.

O PostNL já começou parcialmente em Maio do ano passado com informações por aplicativo e e-mail em vez da nota no tapete ou caixa do correio. No período que antecede a transição em Julho, uma campanha PostNL será lançada na qual os clientes são informados sobre a mudança.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Inicia-se O Debate Sobre Legalizar O Ecstasy Na Holanda

Imagem de Jeso Carneiro (CC BY-NC 2.0)

O acordo de coligação contém uma frase marcante: haverá um comité que investigará as vantagens e desvantagens do uso medicinal do ecstasy. É o início da legalização dessa droga, também para uso recreativo? E porque acham os proponentes que isso é uma boa ideia?

 

"As pessoas às vezes me perguntam: você usa drogas? Eu respondo: sim, às vezes bebo álcool", diz Paul Depla, burgomestre de Breda desde 2015.

"Precisamos olhar um pouco mais realisticamente para a política de drogas", diz o membro do Parlamento D66 Joost Sneller. Depla: "Fique tranquilo com a discussão sobre o uso de drogas. Não rotule imediatamente como sendo certo ou errado."

Nos últimos anos, o debate sobre a legalização ou não do ecstasy tem sido conduzido principalmente localmente. Com a comissão de inquérito a caminho, os políticos nacionais também terão que considerá-la.

Consumo de ecstasy na Holanda (fonte: Instituto Trimbos)

  • Mais da metade dos jovens na vida nocturna já usou ecstasy em algum momento em 2020.
  • A maioria dos jovens usa ecstasy algumas vezes por ano.
  • Um em cada dez adultos holandeses já usou ecstasy.
  • Isso equivale a aproximadamente 1,3 milhão de adultos.
  • O ecstasy é a droga mais usada na Holanda depois da cannabis.

Durante anos, a Holanda foi líder no uso liberal de drogas. Ainda é assim? A política de tolerância à cannabis, que surgiu na década de 1970, já foi mundialmente famosa, mas desde então quase não houve grandes desenvolvimentos nessa área.

O uso de cannabis, no qual suprimentos, compras e vendas se tornam legais pela primeira vez, foi recentemente adiado novamente. Sim, ao contrário do que se diz, o uso de cannabis não é totalmente legal, mas sim apenas tolerado pela Lei, permitindo a venda controlada em locais devidamente autorizados e inspeccionados pelas autoridades.

É claro que as drogas não são isentas de riscos. "Suponha que a pesquisa mostre que 1 em 30.000 pessoas morre pelo uso de ecstasy, você pode justificar a legalização? Essa é uma decisão difícil. Os riscos devem ser muito pequenos", diz Ruben Vrolijk, funcionário científico do instituto Trimbos.

Na política de Den Haag há um punhado de partidos que estão a pensar na legalização do ecstasy. Pelo menos é isso que o D66 e GroenLinks fazem. Volt fala sobre "permitir certas drogas sob certas condições".

De qualquer forma, não há uma maioria, vê Sneller com pena. "Fomos realmente ultrapassados ​​por outros países." Ele está ansioso pela criação da comissão de inquérito ainda este ano.

Efeitos Do Ecstasy

Que efeito o uso de ecstasy e MDMA, o ingrediente activo da pastilha, tem na saúde pública? Essa é talvez a pergunta mais importante sobre a mesa.

"As queixas após o uso de ecstasy podem ser leves, como náuseas ou tonturas", diz Vrolijk. Mas também há riscos maiores. "Muitas pessoas morreram devido ao seu uso. Isso nem sempre é resultado da chamada pastilha contaminada, como às vezes você ouve. Também não vemos uma ligação directa entre as pessoas que já estavam doentes e a morte após o uso de drogas. Então pode acontecer a qualquer um", disse o especialista em drogas do Instituto Trimbos.

É óbvio que o uso de ecstasy é prejudicial. Mas, dizem os defensores de uma política de drogas mais flexível, em comparação com álcool e tabaco, isso não é tão mau.

O uso do ecstasy não é o maior problema para a manutenção da ordem e segurança públicas”, diz Depla. "Nesse aspecto, o uso de álcool é muitas vezes mais causador na perda de ordem pública."

O burgomestre de Breda, originalmente membro do PvdA, vem discutindo há anos como produzir e usar ecstasy com segurança. Depla reconhece que há riscos associados a uma política mais flexível. "Mas você deve deixar a produção e as vendas para o mercado ilegal?", pergunta em voz alta. Depla ressalta que o ponto de partida no debate é sempre a saúde pública.

A comparação entre álcool e ecstasy também pode ser ouvida no município de Utrecht. D66 conselheiro Has Bakker escreveu o Utrechts Drugsmanifest , no qual defende um teste local com ecstasy no qual a produção e a venda de ecstasy são regulamentadas.

"Muitas pessoas em Utrecht tomam uma pastilha de ecstasy em um festival sem causar problemas. Mas essa liberdade não existe agora, porque é ilegal. Na verdade, estamos a apoiar o crime com isso", diz Bakker. Ele chama de bizarro que o uso de ecstasy seja punível. "Porque você pode apanhar uma bebedeira numa qualquer festa."

A pesquisa britânica apoia esse argumento. O álcool é a droga mais nociva, seguida da heroína e do crack. O ecstasy está em algum lugar no final da lista.

Debate Político

Segundo Sneller, a legalização também tem efeitos positivos no despejo de drogas ilícitas na natureza, crimes relacionados às drogas e finanças. De acordo com um estudo, a facturação relacionada com o ecstasy em 2017 foi de pelo menos 9,3 mil milhões de euros. Actualmente, nenhum imposto especial de consumo ou IVA é pago sobre isso.

Há esperança em Den Haag de que a discussão sobre o ecstasy "saia do tabu", diz Sneller. O D66 argumentou no seu programa eleitoral para um experimentação local com ecstasy e MDMA "no qual a produção e a venda destes são regulamentadas".

Faster também vê que há "consumidores problemáticos", mas isso também diminuirá com a regulamentação, espera o membro do D66.

"Ao olhar para longe dos problemas e criminalizar o uso de drogas, as pessoas ficam menos propensas a procurar ajuda. É um tabu." Você não deve esperar informações ou ajuda dada a consumidores problemáticos nesta indústria, diz Sneller. "Um traficante não pergunta: você não estava aqui ontem com problemas?"

A questão é se você pode banir completamente o uso de ecstasy e MDMA. Faster até chama isso de ilusão.

Depla é um pouco mais cuidadoso. "O resultado da comissão de inquérito não deve ser predeterminado. Se os riscos para a saúde são tão grandes, você também deve dizer: não vamos fazer isso."

O membro do PvdA prevê que o assunto se torne um debate "de trincheiras" em Den Haag. "Os opositores são muitas vezes muito negativos e os defensores agem como se a liberalização fosse uma espécie de paraíso na terra. Mas você não torna a sociedade mais segura apenas com ideológicas."

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Navios Russos Banidos Dos Portos Europeus

Imagem de Nico Looijen por Pixabay

Rotterdam, juntamente com os outros portos da União Europeia, baniram a entrada de navios russos, excepto para a entrega de bens essenciais, incluindo alimentos. Os embaixadores da UE concordaram na quinta-feira em punir a Rússia pela guerra na Ucrânia com um quinto pacote de sanções.

 

Os Estados-Membros também não poderão mais importar carvão russo, medida que entra em efeito prático a partir de meados de Agosto e, segundo fontes, as filhas do presidente russo Vladimir Putin serão adicionadas à lista de sanções europeias.

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, disse no início desta semana que a UE importa € 4 mil milhões por ano em carvão da Rússia. Grande parte do carvão consumido na Holanda também vem desse país. A importação de vodka e madeira da Rússia também é proibida.

É o quinto pacote de sanções que Bruxelas decidiu introduzir nas últimas semanas. A UE decidiu complementar o pacote de medidas em resposta às recentes imagens de crimes de guerra em Bucha, um subúrbio de Kiev.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

De Jonge Sobre Fogo Na Câmara. Segue-se Investigação Independente Ao Negócio Das Máscaras

Imagem de Roel Wijnants (CC BY-NC 2.0)

O ministro Hugo de Jonge teve que passar por um pesado debate na Câmara dos Deputados na quinta-feira. Ele sustentou que não estava envolvido no acordo de máscara de protecção que foi concluído com Sywert van Lienden durante a crise corona. Hugo de Jonge foi ministro da Saúde durante a crise corona. Hoje é ministro da Habitação.

 

Apesar de suas "sinceras desculpas", De Jonge quase encontrou toda a oposição com um voto de desconfiança, mas manteve o apoio da coligação e do SGP.

"É difícil para mim, mas o ministro De Jonge mostrou que ele é limitado apenas na capacidade de aprendizagem para ser honesto", disse Attje Kuiken (PvdA) ao final do debate. De Jonge também não conseguiu recuperar a confiança de Jesse Klaver (GroenLinks), porque o ministro apenas indicou em "um pequeno ponto" onde as coisas deram errado.

Klaver se referiu às "sinceras desculpas" que De Jonge havia oferecido à Câmara dos Deputados por não informar totalmente e em tempo útil sobre o contacto que teve com Van Lienden na primavera de 2020. Isso só foi revelado pelo Volkskrant no mês passado, enquanto a Câmara já havia questionado sobre isso no verão passado.

Os jornalistas também perguntaram sobre o seu papel no acordo da máscara facial no ano passado, ao qual o ministro respondeu que "não teve envolvimento decisivo".

Segundo ele, De Jonge deu essa resposta na época porque estava ocupado principalmente com o orçamento do ministério a que presidia, que não incluía a compra de equipamentos de protecção. "Não percebi que inadvertidamente não mencionei esses contactos, quando deveria ter mencionado esses contactos", disse o ministro aos parlamentares.

Insistência De De Jonge

"Desempenhei um papel no estabelecimento de contacto entre um de nossos funcionários e Van Lienden", disse De Jonge, que enfatizou que deveria ter relatado isso. A Câmara teve de se contentar com esta breve auto-reflexão, porque De Jonge afirmou ainda que não estava envolvido no acordo.

"Eu estava envolvido. Só que não no negócio, não no acordo do negócio, não na ordem de um acordo, não na tomada de decisão que levou a um acordo. Nem tudo isso", disse o ministro.

Rapidamente se tornou um jogo semântico durante o debate, embora o ministro tenha dito que não queria entrar nesses jogos de palavras.

Os partidos de oposição esperavam que algo tivesse mudado na política após o debate de 1 de Abril do ano passado. Nesse debate, líder do VVD, Mark Rutte, quase foi demitido por causa do seu papel no memorando 'função em outro lugar' sobre o ex-membro do CDA Pieter Omtzigt. Haveria uma "nova cultura administrativa", em que o governo seria aberto e transparente para a Câmara. "Nós nunca devemos deixar que aconteça novamente que o governo faça este tipo de confusão na Câmara. Isso aconteceu aqui", disse Jesse Klaver exasperado.

Investigação Independente

Durante a defesa de De Jonge, foram principalmente os membros da oposição que o interrogaram. Além de mais abertura, esses partidos também esperavam uma atitude diferente dos partidos da coligação.

Nos últimos anos, a coligação e o governo concordaram em muitas coisas nos bastidores, efectivamente deixando a oposição de lado durante os debates. 

"Tenho um grande problema com o gabinete, mas posso ter um problema ainda maior com as acções desta facção da coligação", disse Klaver referindo-se ao CDA.

Durante o debate, logo ficou claro que os deputados do D66, VVD e ChristenUnie não iriam julgar o destino de De Jonge na quinta-feira. Eles disseram várias vezes que queriam esperar a investigação independente completa levada a cabo pela agência de pesquisa Deloitte sobre a compra de equipamentos de protecção.

De acordo com De Jonge, esta investigação também deve mostrar se seu papel foi um "factor decisivo" para fechar o controverso acordo que tornou Van Lienden um milionário. "Parece absurdo para mim, com essas poucas mensagens", disse ele.

A oposição tinha ouvido o suficiente, ou na verdade muito pouco, de De Jonge na quinta-feira. Kuiken (PvdA) apresentou uma moção de censura em nome de GroenLinks, DENK, SP, Groep Van Haga, PvdD, PVV, BBB e FVD.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 
 

Ao Fim De Três Anos, A Primeira Queda No Preço Das Casas

Imagem de Ralphs_Fotos por Pixabay

O preço médio de uma habitação foi ligeiramente inferior nos primeiros três meses deste ano (-2,1 por cento) do que no último trimestre de 2021. Isto é evidente nos números da associação imobiliária NVM, que fala de "uma pequena brisa em um mercado imobiliário super-valorizado". É a primeira queda de preços em três anos.

 

Em comparação com um ano antes, ainda houve um aumento acentuado (13,7%). Embora esse aumento seja sólido, é menor do que os aumentos de mais de 20% que o precederam. Havia também mais casas à venda no final do primeiro trimestre do que no trimestre anterior.

Isso está longe de resolver os problemas do mercado imobiliário. A procura por casas ainda é muito maior do que a oferta. Também é muitas vezes superado e os preços ainda são tão altos que alguns dos que procuram uma casa desistem.

No último trimestre do ano, os compradores pagaram uma média de 466.000 euros por uma casa nova. Isso foi o mesmo que no trimestre antecedente. Neste primeiro trimestre de 2022, foram pagos 428.000 euros por uma habitação. Isso é 2,1 por cento menos do que no último trimestre do ano passado.

A queda trimestral é impressionante, porque os preços das casas têm aumentado continuamente nos últimos anos. Mas, de acordo com o NVM, ainda é muito cedo para ver o recente declínio como uma quebra na tendência. "Muitas vezes acontece que os preços das casas caem ligeiramente no primeiro trimestre", diz a corretora de imóveis Lana Gerssen, que também é presidente do departamento de Habitação do NVM.

"Pode ser que em um futuro próximo vejamos os preços caírem de trimestre para trimestre. Mas também pode muito bem ser que os preços simplesmente continuem a subir novamente a partir de agora. É simplesmente muito cedo para dizer qualquer coisa sobre isso."

De qualquer forma, o mercado ainda está bastante valorizado. Por exemplo, os compradores ainda estão preparados para oferecer muito mais do que o preço pedido: para quatro em cada cinco casas, foram compradas por um valor superior ao pedido pelo vendedor no primeiro trimestre. Esta é uma diferença média de 8,1 por cento.

Taxa Euribor

No final de Março, havia 17.000 casas à venda, 10% a mais do que três meses antes. "Vimos um aumento no número de casas à venda, principalmente em Março", diz Gerssen.

Uma explicação possível, diz ela, é a maior taxa de juros de hipotecas. Houve alguns aumentos nos últimos tempos. Como resultado, os interessados querem fazer a sua mudança agora, antes que as taxas de juros subam ainda mais.

Outra explicação possível é que muitos dos jovens vivem na incerteza sobre o futuro por causa da guerra na Ucrânia e da alta inflação. É por isso que eles agora querem se mudar rapidamente para uma casa maior. "Mas aqui também não temos certeza de qual é a explicação correta."

O que o NVM também vê é que os investidores privados estão menos activos no mercado imobiliário. Isso diz respeito aos compradores que compram casa não para habitação mas sim para investimento, como por exemplo, para alugar. "Em várias regiões da Holanda, vemos que menos investidores estão activos, por exemplo, em Amsterdam."

Esses investidores foram criticados recentemente por dificultar a vida de outros compradores. O governo e vários municípios introduziram medidas para limitar as opções para os investidores. Por exemplo, o imposto de transferência para este grupo aumentou no ano passado. Vários grandes municípios também introduziram a residência obrigatória.

"Mas os preços em alta também desempenham um papel", diz Gerssen. "Se os preços subirem 20% em um ano, como aconteceu no ano passado, isso pressiona o retorno dos investidores. Afinal, você não pode aumentar o preço pelo qual você aluga a casa nessa mesma percentagem. É por isso que nós estamos ver em algumas partes do país que os investimentos estão a diminuir."

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Empresa De Máscaras Covid Entra Com Acção Contra O Estado

Imagem de Gabriella Judit por Pixabay

O fornecedor de máscaras faciais NIHW de Haarlem iniciou um processo judicial contra o Estado holandês, escreve o De Volkskrant na quinta-feira. A empresa tinha acordos verbais com o Ministério da Saúde de Hugo de Jonge sobre o fornecimento de máscaras faciais em 2020, mas estes foram cancelados à última hora. O NIHW suspeita que o controverso acordo com Sywert van Lienden tenha tudo a ver com isso.

 

De acordo com o De Volkskrant, em 14 de Março de 2020, no início da crise corona, o NIHW apresentou-se como candidato ao fornecimento de máscaras faciais ao governo para proteger a população contra a propagação do vírus SARS-CoV-2, conhecido também como coronavírus.

Cerca de um mês depois, em 7 de Abril, a empresa enviou várias máscaras faciais ao ministério, que respondeu muito positivamente à sua qualidade. Diz-se na altura que as máscaras FFP2 protegiam tão bem que até atendiam aos padrões de uma máscara FFP3.

Poucos dias depois, o ministério e o NIHW concluíram um acordo oral sobre a entrega das máscaras de protecção, que também foi confirmado por e-mail e WhatsApp. A 15 de Abril, o negócio foi subitamente cancelado. O NIHW já questionou isso na época, mas a empresa optou por não entrar na Justiça a meio de uma situação de crise de saúde pública.

Agora sim, porque relatórios das últimas semanas mostraram que o controverso acordo entre a Saúde Pública e o ex-comentarista político Van Lienden foi concluído durante o fim de semana da Páscoa de 11, 12 e 13 de Abril de 2020. O NIHW agora assume que foi deixado de lado por causa desse acordo.

O negócio da máscara facial com Van Lienden já causou bastante agitação nos últimos meses e dias, desde que o De Volkskrant anunciou que ele e seus companheiros ganharam 28 milhões de euros com a entrega das máscaras de protecção. Isso contradiz fortemente a sua afirmação de que fez tudo "por nada". Na quarta e quinta-feira, a Câmara dos Deputados debateu o acordo e os políticos responsáveis foram questionados sobre o seu papel neste caso, que ainda vai dar que falar, tanto politicamente como judicialmente.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Polícia Usou De Mais Violência Em 2021

Imagem de Jos van Zetten sob licença (CC BY 4.0)

A polícia usou a força em 18.477 incidentes no ano passado, informou a Polícia na quinta-feira. Isso é cerca de dois mil incidentes violentos a mais do que no ano anterior. Segundo a polícia, o aumento é "um efeito do tempo do corona na sociedade". Em 2019, a polícia usou a força em 14.507 incidentes.

 

Um total de 35.882 ferramentas de polícia de choque foram usados ​​no ano passado, com a polícia na maioria dos casos (55%) a usar da violência física sem armas. Isso inclui, por exemplo, empurrar, puxar e agredir fisicamente.

De acordo com os números, os agentes apontaram uma arma de fogo para alguém em 8% dos casos (2.861 vezes). Em 78 casos, eles também foram forçados a disparar contra uma pessoa. A polícia disparou um tiro de advertência 165 vezes.

Além disso, os agentes usaram do bastão longo com uma frequência notável e a polícia fez uso mais frequente de gás lacrimogéneo e do canhão de água. O número de agentes a cavalo também aumentou. Segundo a Polícia, esses aumentos podem ser explicados pelo grande número de manifestações, a maioria devido às medidas corona, no ano passado em que os agentes da polícia de choque foram chamados a actuar.

De acordo com o comissário de Polícia, Frank Paauw, há uma crescente insatisfação na sociedade e a autoridade é cada vez mais discutida. "Pode ver isso na natureza dos incidentes", diz ele.

A Polícia também verifica se os agentes agiram correctamente durante um ato de violência. Em 2021, as análises descobriram que 231 agentes usaram força excessiva. Acções foram tomadas contra eles, disse a Polícia.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Subsídio De Viagem Não Cobre Gastos Dos Empregados, Mas Já Há Mudanças A Caminho

Kliek, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Muitos trabalhadores na Holanda não recebem um reiskostenvergoeding (subsídio de viagem) com boa relação custo-benefício do seu empregador. Isso é afirmado pelo sindicato CNV com base numa pesquisa entre mais de 1.300 membros que usam o seu carro para chegar ao trabalho.

 

De cada dez entrevistados, quase nove tiveram que mudar algo nos orçamentos familiares para fazerem face às suas despesas de viagem. O sindicato também observa que quase todos eles actualmente não recebem um aumento no subsídio de viagem do empregador, apesar de gastarem muito mais com o combustível. Os preços nas bombas subiram acentuadamente nos últimos tempos, em parte devido à guerra na Ucrânia.

O presidente da CNV, Piet Fortuin, diz estar chocado com os números. Lamenta que os subsídios de viagem não cubram os custos, mesmo agora que o imposto especial de consumo do combustível foi reduzido. Ele também critica porque os empregadores não aumentam os subsídios de viagem nas circunstâncias actuais. "Inaceitável para nós, especialmente em um momento em que a inflação sobe para os 10 por cento."

Votação

Tem havido várias reclamações há algum tempo sobre o subsídio de viagem completamente inadequado de muitos funcionários. Na última terça-feira, o CDA e o VVD apresentaram uma moção à Câmara dos Deputados para aumentar o subsídio de quilometragem livre de impostos de 19 para 23 cêntimos a partir de 1 de Janeiro de 2023.

A moção passou com 142 votos a favor. A única deputada do BIJ1 e a independente Gündogan abstiveram-se e o PvdA votou contra.

O sindicato quer agora que os empregadores façam realmente uso dessa isenção, de 23 cêntimos e que ajustem os seus subsídios de viagem aos seus empregados.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

São Conhecidos Os Números Da Inflação

Imagem de Steve Buissinne por Pixabay

A Holanda ficou mais cara 9,7% em Março do que em comparação com o ano anterior. É a inflação mais alta desde Abril de 1976, informa o Instituto Central de Estatísticas (CBS). O crescimento dos salários negociados colectivamente permanecerá em 2,4%.

 

Desde a reabertura da economia que os preços vêm aumentando, mas com a guerra entre a Ucrânia e a Rússia, os preços já elevados aumentaram ainda mais. Por exemplo, os preços da electricidade, gás e aquecimento urbano aumentaram acentuadamente, mas os alimentos também ficaram mais caros.

O desenvolvimento dos salários negociados colectivamente (CAO), que em comparação com o ano passado, os 2,4% é uma subida acentuada, mas que está muito atrasada devido à inflação deste ano. Normalmente, os salários CAO não podem seguir directamente aumentos abruptos de preços, porque a evolução salarial resulta em parte de acordos CAO previamente celebrados. O número provisório do CBS para o primeiro trimestre de 2022 é baseado em 74% dos acordos colectivos de trabalho.

Governo

De todos os sectores, os salários subiram menos no sector governamental, com 0,8%. Isso está relacionado a acordos salariais feitos anteriormente. No primeiro trimestre de 2021, o sector governamental ainda era um dos sectores com maior crescimento salarial (2,7%). No sector de instituições subsidiadas e no sector privado, os salários aumentaram 3,3% e 2,6%, respectivamente.

Os salários aumentaram mais em 3,8 por cento no sector de transporte e armazenamento, e o mínimo em 0,3 por cento na indústria de turismo, educação e fornecimento de energia. A indústria da construção, assim como o sector de saúde e bem-estar, apresentou um aumento de 3,4% no último trimestre.

Não são conhecidos desenvolvimentos no sector de aluguer e comércio de imóveis, porque não foi alcançado um acordo colectivo de trabalho para a maioria dos funcionários desse sector.

Inflação

Na semana passada, o CBS anunciou que a inflação na Holanda tinha subido para quase 12%.

No entanto, foi utilizado o método harmonizado europeu, que foi criado para permitir uma boa comparação dos dados de inflação de diferentes países europeus. O CBS apresenta agora o valor de Março de acordo com o seu próprio método de cálculo.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Patrocinadores Da Selecção Holandesa Não Viajam Para O Catar

Imagem de Reimund Bertrams por Pixabay

Os patrocinadores da selecção holandesa não viajam para o Catar para o Campeonato do Mundo FIFA no final deste ano. O principal patrocinador ING confirmou a decisão ao De Telegraaf. A razão deve-se à situação dos direitos humanos no Catar.

 

O ING também diz que não fará campanha em torno do torneio de futebol. Isso significa que não haverá comerciais. O banco diz que quer se concentrar no Campeonato Europeu feminino na Inglaterra no próximo Verão.

O ING também não reserva cartões para funcionários e clientes. Os patrocinadores da associação de futebol KNVB têm esta oportunidade em cada fase final deste tipo de campeonatos. O nome do ING continuará a ser visto na camisola da equipa Orange.

O Albert Heijn também não viaja para o Catar. "Estamos a analisar como podemos comemorar o Campeonato do Mundo aqui na Holanda", disse um porta-voz à imprensa. A empresa ainda não decidiu se serão feitas campanhas publicitárias em torno do torneio.

Os grandes torneios de futebol são um momento importante para os supermercados apresentarem promoções para atrair clientes. O Albert Heijn teve a campanha com Hollandicons em torno do Campeonato Europeu de futebol no ano passado. A cadeia de supermercados Jumbo veio com uma capa da equipa holandesa.

KPN, a Loteria Holandesa e Bitvavo também não viajam para o Catar. Ainda não foi decidido se os comerciais serão transmitidos durante a fase final do torneio mundial.

As críticas à escolha do Catar como sede do Campeonato do Mundo 2022 voltaram a se intensificar no período que antecedeu o sorteio da semana passada. O técnico da selecção, Louis van Gaal, disse que era uma vergonha. "Acho ridículo que o Campeonato do Mundo seja realizado lá. Jogar num país para 'desenvolver lá o futebol', como diz a Fifa, é estúpido. Trata-se apenas de dinheiro e interesses comerciais."

A federação de futebol da Holanda responde: "A KNVB respeita as escolhas dos parceiros comerciais de viajar ou não para o Catar com convidados e/ou ter o Campeonato do Mundo com campanhas", disse um porta-voz da associação.

"Como participante do Campeonato do Mundo, a KNVB tem um papel e responsabilidade diferentes dos nossos parceiros comerciais. A associação decidiu em 2020 participar no Campeonato do Mundo de 2022 no Catar de forma socialmente consciente."

"Parte disso é que informamos os nossos parceiros o máximo possível sobre os desenvolvimentos no Catar e do nosso compromisso social. Com base nessas informações, cada um deles tomou sua própria decisão."

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Iates Russos Apreendidos Na Holanda Em Seguimentos Das Sanções Europeias À Rússia

Imagem de wasi1370 por Pixabay

As autoridades alfandegárias colocaram quatorze navios em construtores de iates holandeses sob uma supervisão mais rigorosa por causa das sanções contra a Rússia. Treze iates são de proprietários russos, o décimo quarto não é russo, mas não é permitido navegar por enquanto.

 

O ministro das Relações Exteriores, Hoekstra, anunciou isso na quarta-feira. Após as severas críticas da Câmara dos Deputados sobre a implementação das sanções, as coisas agora parecem estar a avançar. O ex-ministro Blok foi nomeado coordenador nacional de sanções na sexta-feira.

Trata-se de doze iates em construção, incluindo super iates de mais de 35 metros e dois iates em manutenção, relata agora Hoekstra à Câmara. Até onde sabemos, os iates não são de russos que estão na lista de sanções europeias, mas esses barcos não podem ir para a Rússia de acordo com as sanções.

Segundo a directora-geral das Alfândegas, Nanette van Schelven, trata-se de três iates de luxo com cerca de vinte metros de comprimento e nove super iates com mais de cinquenta metros de comprimento. “Começamos a mapear todos os estaleiros e comerciantes de iates no início de Março, quando o pacote de sanções foi imposto. Nós também os visitamos. Em seguida, analisamos os planos financeiros e as informações do proprietário. Também entramos em discussões com os estaleiros envolvidos para obter informações sobre os proprietários dos iates, que ainda estão em construção”, explica Van Schelven. Segundo ela, nenhum iate russo partiu da Holanda desde que o regime de sanções entrou em vigor. "Sabemos disso com certeza, pois formamos um grupo de trabalho junto com a guarda costeira e a FIOD no início de Março",

Um estaleiro holandês deveria receber em breve um iate russo para manutenção programada, mas esse serviço foi agora cancelado.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.