Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Portugueses na Holanda

O principal meio de informação em português na Holanda. Notícias, informação e ponto de encontro da comunidade portuguesa.

Pagamentos em Dinheiro com Máximo e Nota de Quinhentos Euros Fora de Circulação

Imagem de Wolfgang Eckert por Pixabay

 

Na luta contra a criminalidade e a lavagem de dinheiro, a Holanda defende um limite para pagamentos em dinheiro na Europa e o desaparecimento da nota de 500 euros.

 

A Holanda não está sozinha, o Ministro das Finanças Wopke Hoekstra faz a proposta junto com a Bélgica, França, Itália e Espanha. Juntos, eles pedem à Comissão Europeia um máximo de 5000 euros para pagamentos em dinheiro, com margem para os países baixarem ainda mais esse valor. O próprio governo holandês prepara a legislação com um limite de 3.000 euros, assim informou o Ministro das Finanças à Câmara dos Deputados.

Os países em questão também querem acabar com a circulação da nota de 500 euros, que é usada principalmente por associações criminosas. A nota deixou de ser produzida a 1 de Janeiro de 2019, mas 400 milhões de notas ainda se encontram em circulação. Hoekstra e os seus colegas desejam retirar gradualmente a nota de circulação em todos europeus.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Starbucks e Estado Holandês Ganham Acção Judicial Contra Bruxelas. Holanda Devolve Mais de 50 Milhões à Gigante Americana

Imagem de Fabian Holtappels por Pixabay

 

A gigante americana de venda de café Starbucks, recebeu mais de 50 milhões de euros das autoridades fiscais holandesas no ano passado. O Belastingdienst iniciou o pagamento de milhões todos os meses depois da Starbucks e o Estado holandês venceram uma acção judicial contra Bruxelas sobre evasão fiscal em 2019.

A Starbucks tinha reembolsado € 25,7 milhões em impostos depois da decisão da Comissão Europeia ter determinado que a cadeia de café tinha recebido auxílio estatal indevidamente. A empresa americana concluiu um negócio fiscal nos Países Baixos e assim, conseguiu evitar dezenas de milhões de euros em dinheiro de impostos entre 2008 e 2014.
 
A Comissão Europeia quis pôr fim a esta situação porque segundo ela haviam sido dados auxílios estatais não autorizados. O então Secretário de Estado das Finanças, Eric Wiebes, iniciou uma acção contra essa decisão de Bruxelas no Tribunal de Justiça Europeu.
 

Enquanto o caso estava a ser julgado, a Holanda reivindicou € 25,7 milhões de volta da Starbucks. Em 2019, a Holanda ganhou essa acção judicial e agora devolveu mais do dobro desse valor, de acordo com as contas anuais da Starbucks Manufacturing EMEA, com sede em Amsterdam, relatou a revista financeira Quote.

Também para os anos de 2015 e 2016, as autoridades fiscais aparentemente já levaram em consideração a vantagem fiscal acordada inicialmente, porque a Starbucks também receberá outros € 28,7 milhões referentes a esses anos, incluindo juros. Os milhões foram já depositados na conta da Starbucks entre Fevereiro e Maio do ano passado, de acordo com as contas anuais referentes a 2020.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Energia Mais Cara nos Países Baixos

Imagem de Steve Buissinne por Pixabay

 

A Holanda vai gastar muito mais dinheiro com as contas de energia. O motor online para comparação Pricewise descobriu que uma família da classe média vai ver a sua conta de energia aumentar em EUR 360 no primeiro semestre deste ano. Em relação ao ano passado, o aumento foi ainda superior atingindo os 500 euros.

 

De acordo com a Pricewise, o forte aumento deve-se à crescente escassez de gás e ao aumento dos custos de produção de electricidade. A Pricewise observou anteriormente que a procura por gás é maior do que a oferta. A produção de electricidade também é muito cara, porque durante muito tempo houve relativamente pouco sol e vento.

Os cálculos da Pricewise baseiam-se nos preços de um contrato fixo de um ano com consumo de 3.500 kWh de electricidade e 1.500 metros cúbicos de gás. As taxas de gás anuais estão actualmente nos seus níveis mais altos e as tarifas de eletricidade atingiram o seu ponto mais alto desde 2009, disse a Pricewise.

O especialista em energia Tomas Bleker, do comparador de preços online, também está preocupado com as perspectivas para o próximo período. "Se os preços continuarem subindo, será um inverno muito caro, onde se pode esperar que as tarifas variáveis ​​de energia também sofram um aumento a partir de 1 de Janeiro."

A Pricewise também relata, com base numa pesquisa com mil pessoas, que muitos consumidores estão preocupadas com o aumento das tarifas de energia. Cerca de três em cada dez entrevistados dizem que será difícil pagar as contas de energia se as tarifas continuarem a aumentar neste ritmo.

Artigo relacionado: Facturas de Energia Vão Ficar Mais Caras a Partir de 1 de Julho nas Tarifas Variáveis

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Ofertas de Trabalho - Produção

building-804526_640.jpg

 

Procura trabalho na Holanda? Conheça aqui as ofertas de trabalho de Produção apoiadas por Portugueses na Holanda.

 

Funcionário(a) de Produção

(Código 007)

 XPO / Inditex Lelystad pretende para a sua equipa, pessoas para trabalho de armazém / produção. O trabalho consiste em: 

  • Descarregamento e separação de calçados e vestuário; 
  • Embalagem e encaixotamento de roupas e calçado; 
  • Embalagem e transporte; 
  • Transferência de paletes. 

Oferece-se: 

  • Salário inicial eur 10,61 / hora (exclusive); 
  • Após quatro semanas de trabalho, mais eur 0,50 / hora; 
  • Caso se aplique, há disponibilidade de acomodação temporária em hotel da empresa em Leiderdorp e transporte de/para o local de trabalho em autocarro da empresa. 

Pretendemos: 

  • Pessoa activa e com vontade de trabalhar; 
  • Com boa comunicação em inglês e/ou holandês; 
  • Disponibilidade para trabalho por turnos. 

Interesse?

Envie o seu curriculum em inglês para portuguesesnaholanda@gmail.com com a informação se tem carta de condução, se necessita transporte da empresa e o código da oferta. Para candidaturas de Portugal, a empresa empregadora fornece possibilidade de alojamento, transporte e ajuda na obtenção de número fiscal, abertura de conta bancária e contratação de seguro de saúde. A viagem para os Países Baixos é da responsabilidade do candidato.

 

Funcionário(a) de Lavandaria

(Código 008)

A empresa Nedlin procura para a sua equipa Funcionário(a) de Lavandaria. Terá como função garantir que os hotéis e restaurantes tenham as suas roupas limpas e prontas a tempo. 

Procuramos: 

  • Pessoa com capacidade para exercer o trabalho; 
  • Disponibilidade para turnos 
  • Boa comunicação em inglês e/ou holandês 

Oferecemos: 

  • Salário eur 10,91 por hora 
  • Alojamento e transporte, se necessário

Interesse?

Envie o seu curriculum em inglês para portuguesesnaholanda@gmail.com com a informação se tem carta de condução, se necessita transporte da empresa e o código da oferta. Para candidaturas de Portugal, a empresa empregadora fornece possibilidade de alojamento, transporte e ajuda na obtenção de número fiscal, abertura de conta bancária e contratação de seguro de saúde. A viagem para os Países Baixos é da responsabilidade do candidato.

 

Funcionário(a) de Produção

(Código 009)

Para a empresa Mora em Maastricht, pretende-se Funcionário(a) de Produção. 

O trabalho consiste principalmente em dobrar caixas, empilhar caixas, separar produtos, jogar os produtos num grande funil que depois são embalados em sacos, limpar seu local de trabalho, levar paletes com produto para o armazém e controlar a área de lavagem (todas as caixas de produção são limpas no local).  

Todos os dias há diferentes linhas de produção programadas para si. Isso torna o trabalho variado. Se você trabalhar correctamente, existem oportunidades para seguir vários cursos de formação que são relevantes para funcionários que trabalham em produção. 

Salário eur 10,60  

Após 6 meses eur 11,50 

Horário por turnos turno. 

O candidato deverá ter boa comunicação em inglês e/ou holandês 

Alojamento e transporte disponíveis

Interesse?

Envie o seu curriculum em inglês para portuguesesnaholanda@gmail.com com a informação se tem carta de condução, se necessita transporte da empresa e o código da oferta. Para candidaturas de Portugal, a empresa empregadora fornece possibilidade de alojamento, transporte e ajuda na obtenção de número fiscal, abertura de conta bancária e contratação de seguro de saúde. A viagem para os Países Baixos é da responsabilidade do candidato.

Corredor Ferroviário Para Schiphol Ganha Concorrência. Arriva Entra na Corrida

Imagem de Rob Dammers sob licença (CC BY 2.0)

 

A operadora ferroviária comercial Arriva, o maior concorrente da NS, foi autorizada pela Autoridade de Consumidores e Mercados (ACM) a operar comboios nocturnos de Groningen e Maastricht para Schiphol e também a realizar um serviço entre Apeldoorn e Amersfoort. A autoridade de consumo e mercado informou isso esta quinta-feira.

 

Os comboios funcionarão a partir de 2023 e estão previstos funcionarem principalmente nos fins de semana. O comboio de Maastricht sai à 1h e pára nas cidades de Eindhoven, Den Bosch e Utrecht, entre outras, antes de chegar a Schiphol às 3h30.

Um comboio sai de Groningen para Schiphol às 02:00. Este comboio chega ao aeroporto às 4 da manhã e pára em Assen, Zwolle e Almere, entre outras. O serviço entre Apeldoorn e Amersfoort funcionará cinco vezes por dia entre as 09h00 e as 13h00.

É a primeira vez que a ACM tem que dar permissão para a operação de uma ligação ferroviária. Desde Janeiro, as transportadoras ferroviárias estão autorizadas a oferecer os chamados serviços de acesso aberto. São serviços que não são licenciados pelo governo, mas são inteiramente de iniciativa privada.

No entanto, quem o deseja fazer deve primeiro informar os planos à ACM, que investigará se o impacto sobre a concessão ferroviária existente da NS não é muito prejudicial. Esse parece não ser o caso, conclui a autoridade para a concorrência após a pesquisa. Devido aos serviços ferroviários da Arriva, o lucro da NS cairá apenas 0,03 por cento, pelo que a Arriva está autorizada a operar os comboios nos trajectos indicados.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Uber Condenada a Contratar os Seus Motoristas. Assim Decidiu o Tribunal de Amsterdam

Imagem de Ivan Radic sob licença (CC BY 2.0)

 

Numa decisão inédita no país, a Uber é obrigada a contratar os motoristas que para ela prestam serviço. Assim decidiu o Tribunal de Amsterdam na passada terça - feira, numa acção judicial entre a empresa de transportes e o sindicato FNV. A empresa também pode ter que pagar os retroactivos dos salários aos motoristas. O Uber diz que vai recorrer da decisão.

 

A FNV foi a tribunal no final do ano passado. O sindicato está incomodado com a política da Uber de não contratar motoristas, mas de os chamar de colaboradores autónomos. De acordo com o sindicato, isso significa que os motoristas recebem menos e têm menos direitos em caso de doença, por exemplo.

Segundo a Uber, os motoristas são autónomos e os taxistas não têm problemas com isso. Mas, de acordo com o sindicato, isso é um absurdo. Por exemplo, os motoristas não podem determinar as suas próprias taxas, determinar como realizam o seu trabalho e também não podem escolher quais os clientes que aceitam.

O juiz decidiu assim a favor do sindicato na terça-feira: a Uber deve sim, ter os seus motoristas como empregados e colocá-los no Acordo Colectivo de Trabalho para Transporte de Táxis. De acordo com o tribunal, a relação entre a Uber e os motoristas reúne todas as características de um contrato de trabalho, inclusive em termos de remuneração e relação de autoridade.

Motoristas Sujeitos ao Algoritmo Uber

O tribunal ressalta ainda que os motoristas estão sujeitos ao algoritmo que a Uber usa na sua aplicação para os clientes. Este algoritmo só pode ser modificado pela Uber, não pelos motoristas. Em suma, a Uber tem um comportamento de empregador para com os motoristas.

A FNV vê esta decisão como uma grande vitória. “Isso mostra o que dizíamos há anos: a Uber é um empregador e os motoristas são funcionários, então a Uber deve aderir ao Acordo Colectivo de Transporte de Táxis. É também um sinal para Den Haag de que este tipo de relação é ilegal e que a lei deve ser aplicada."

Com a decisão, os motoristas da Uber passaram a ser abrangidos pelo acordo colectivo de trabalho das empresas de táxi. Isso significa que, em alguns casos, os motoristas têm direito aos vencimentos retroactivos. Por incumprimento do acordo colectivo de trabalho, a Uber também terá de pagar 50.000 euros de coima à FNV.

A Uber disse numa nota à imprensa que ficou desapontada com a decisão. Segundo a empresa, “a grande maioria dos motoristas gostaria de se manter independente”. A Uber diz que quer melhorar o trabalho independente, inclusive garantindo trabalho flexível e rendimento suficiente para os motoristas.

Deliveroo Também Em Tribunal

O sindicato vem defendendo que as empresas de plataforma online como a Uber, que usam independentes há algum tempo para realização do serviço, sejam consideradas como empregadoras.

No início deste ano, por exemplo, houve um caso entre o sindicato e a distribuidora de refeições Deliveroo. Nele, o tribunal afirmou também que os distribuidores Deliveroo têm direito a um contrato de trabalho.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Seis Meses Após Eleições, Países Baixos Continuam sem Governo

Imagem Creative Commons (CC BY-SA 4.0)

 

Seis meses após as Eleições para a Câmara de Deputados nos Países Baixos,  o negociador Johan Remkes ainda procura entendimento entre os vários partidos para a formação de um governo de coligação. Com os líderes do partido VVD, D66 e CDA na propriedade De Zwaluwenberg perto de Hilversum, haverá no próximo fim de semana mais uma tentativa de consenso. Remkes chama-lhe apenas de "reunião informal".

 
 

O negociador pretende apenas conversar com as partes sobre uma possível cooperação construtiva com a PvdA, GroenLinks e a ChristenUnie. Remkes espera que as negociações contribuam para a confiança mútua entre os líderes dos partidos.

Remkes acha que as diferenças substantivas entre os três partidos podem ser superadas e isso também é necessário para uma coligação de confiança. De acordo com Remkes, VVD, CDA e D66 não excluíram nenhuma combinação, mas "repassaram preferências". O D66 não vê uma coligação minoritária apenas com VVD e CDA, porque tal coligação muito provavelmente não será viável.

Os líderes dos três partidos também trazem os seus vice-presidentes. Estes são Sophie Hermans (VVD), Rob Jetten (D66) e Pieter Heerma (CDA). Segundo o negociador, a intenção é que as lideranças partidárias e seus deputados pernoitem na propriedade. Para já, nada indica que os convidados não aceitem o seu convite.

No seu convite aos líderes do partido, Remkes cita a recomendação da negociadora que o antecedeu, Mariëtte Hamer, de formar uma coligação minoritária a partir de uma combinação entre VVD, D66 e CDA. Já não é a primeira vez que esta propriedade é usada para determinação de uma coligação governante. Em 2007 e 2017, os políticos também usaram esta propriedade De Zwaluwenberg para um fim de semana de discussão para a formação do governo.

VVD, D66 e CDA (centro direita) foram os vencedores das eleições, mas sem maioria parlamentar. Com a recusa unânime de incorporar os partidos de extrema-direita, os vencedores terão de contar com uma coligação que incorpore partidos de esquerda. Aqui reside o grande problema devido às grandes diferenças de programas eleitorais, principalmente com o partido CDA. Uma coligação sem este partido também seria uma possibilidade após o caso Omtzigt, mas isso incluiria mais cedências à esquerda no alargamento da coligação ainda mais a este lado do espectro político. 

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Acaba o Distanciamento de 1,5 Metros, Mas Certificado de Acesso é Introduzido

Imagem Portugueses na Holanda

 

Tal como já tínhamos anunciado, o governo demissionário anunciou mudanças nas medidas corona na noite de terça-feira. O distanciamento de 1,5 metros deixará de existir, mas todos os que quiserem ir a um bar, por exemplo, devem ter um certificado com eles. As mais importantes mudanças de seguida.

 

Distanciamento Social

A regra de metro e meio de distanciamento social será abolida a partir de 25 de Setembro. A regra foi introduzida há um ano e meio e era a principal medida do "novo normal". O fim da regra do metro e meio é um passo grande e simbólico. Manter distância continuará apenas como um conselho.

Certificado Digital

A partir do dia 25 de Setembro, já não será necessário manter distância, mas o certificado digital vai ser obrigatório na restauração, no sector da arte e cultura e nas competições desportivas. O certificado é necessário tanto no bar onde faz um lanche como na cantina da associação desportiva. Uma excepção são os locais de passagem de público, como museus e bibliotecas. O certificado é aceite com prova de vacinação completa, recuperação recente de covid-19 ou teste de corona negativo. O certificado é obrigatório para todos a partir dos treze anos.

Eventos e Festivais

Eventos e festivais ao ar livre podem novamente ser realizados, sejam eventos de um ou vários dias. A condição é que os visitantes mostrem o seu certificado a cada 24 horas. Não há lotação máxima para o número de visitantes e não há horário de encerramento obrigatório como na restauração. A restauração deve fechar à meia-noite durante um evento .

Eventos internos sem lugares marcados também são permitidos novamente a partir de 25 de Setembro. No máximo 75 por cento da capacidade do salão pode ser usado e os visitantes também devem apresentar um certificado. Estes eventos interiores devem fechar à meia-noite.

Não existe lotação máxima para concertos com lugares marcados. A restauração com evento interior e lugares marcados pode continuar aberta após a meia-noite.

Discotecas e Casas Nocturnas

Também as discotecas e casas nocturnas poderão reabrir, embora ainda só até meia-noite. Aplicam-se as mesmas regras que ao sector da restauração. O horário de encerramento é meia-noite e um certificado é necessário.

Escolas

Se alguém da turma der positivo para covid-19, toda a classe escolar ainda terá que permanecer em quarentena em casa. Isso deixará de ser necessário a partir de 20 de Setembro. Apenas os contactos próximos do aluno infectado serão examinados, de modo que apenas alguns alunos fiquem em quarentena. A hipótese do GGD poder aconselhar o envio de toda a turma para casa ainda poderá ser aplicado no caso de vários positivos na mesma turma.

As regras corona serão abolidas também nas escolas secundárias e no ensino superior. A máscara deixará de ser obrigatória no interior e não haverá limite máximo do número de pessoas num grupo.

Máscaras

As máscaras deixam de ser usadas ​​nas aulas, mas a obrigação continua em vigor nos transportes públicos. A máscara deve ser usada no autocarro, comboio e avião. No interior do aeroporto também continua a ser obrigatório o uso de máscara, mas não será mais o caso da estação ferroviária e rodoviária a partir de 25 de Setembro.

O Escritório em Casa

Trabalhe em casa se puder e no escritório se for necessário”, é o novo lema da medida do trabalho em casa.

Quarentena a Viajantes

Os viajantes vacinados que retornam de países onde o risco de infecção pelo vírus corona é muito alto (lista vermelha) não vão ser mais colocados em quarentena a partir de 22 de Setembro.

Estádios Cheios

Deixa de haver restrições ao número de adeptos nos estádios de futebol. No entanto, o certificado é obrigatório. Isso significa que os estádios de futebol podem voltar a ficar cheios. PSV-Willem II no sábado, 25 de Setembro, pode ser o primeiro jogo na Eredivisie com um estádio lotado em um ano e meio.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

O Custo das Mudanças Climáticas

Imagem de Ben Kerckx por Pixabay

 

Para manter o aquecimento médio global em 1,5ºC, um investimento de pelo menos 6 biliões (sim, biliões e não milhares de milhões) de euros em energia renovável é necessário a nível mundial. Foi este o cálculo da consultoria e gabinete de engenharia Arcadis. O dinheiro terá de ser investido, entre outras coisas, na expansão das redes de energia mas também em novas tecnologias energéticas.

 

O estudo usa um modelo macroeconómico de sistemas económicos e energéticos globais e dados de dez mercados: Holanda, Austrália, Bélgica, Brasil, China, França, Alemanha, Índia, Reino Unido e Estados Unidos. Para limitar o aquecimento global, todos esses países devem cortar as suas emissões de CO2, pelo menos pela metade até 2029.

Alguns países precisam reduzir as suas emissões pela metade em quatro anos para cumprir a meta climática, diz o estudo. Os investimentos necessários para isso terão um preço de 6 biliões de euros. Se esse dinheiro fosse gasto de uma vez, equivaleria a 7% do PIB global desse ano, disse Arcadis.

O limite de 1,5ºC de aquecimento médio vem do relatório climático do painel IPCC da ONU. O relatório afirma que um aumento do aquecimento da temperatura global média abaixo dos 1,5ºC não é mais possível de alcançar.

Segundo a Arcadis, o sector da energia tem um papel fundamental. “A criação de um sector de energia zero é essencial, pois permitirá que o resto da economia se descarbonize”, disse o director executivo da Arcadis, Alexis Haass, que aborda temas como a sustentabilidade.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Futuras Medidas Corona

Imagem de Portugueses na Holanda

 

Ao contrário da Dinamarca que aboliu todas as medidas corona, a Holanda deverá escolher um caminho mais parecido com o da França ou Itália, com a necessidade do Certificado Digital para entrar em certos locais e negócios. 

Segundo algumas informações de dentro do Governo, o Certificado Digital será provavelmente obrigatório a partir de 25 de Setembro no acesso à restauração, aos espaços de arte e da cultura. Nessa data também deverá desaparecer a regra do metro e meio, confirmou a RTL Nieuws na passada noite de Domingo.

Além disso, as máscaras devem continuar a ser obrigatórias apenas nos transportes públicos, de acordo com a mesma fonte. O conselho de tele-trabalho também não sofrerá alterações por enquanto e a restauração e negócios da noite deverão permanecer encerrados entre as 00h00 e as 06h00.

Ainda não foi decidido se o sector de eventos terá mais lotação. O governo, ainda demissionário, dará uma conferência de imprensa sobre as medidas na próxima terça-feira.

O governo havia já considerado a obrigação do Certificado Digital na semana passada na área da saúde, mas acabou por alargar esta medida a toda a sociedade. Ao trabalhar com Certificados Digitais, o governo quer evitar ter que aplicar "medidas mais restritivas para todos" por mais tempo.

Actualmente, o Certificado Digital já é obrigatório para eventos temporários ou de curta duração, com ocupação máxima de dois terços da capacidade e onde todos têm lugar marcado. Um certificado também é necessário para viagens dentro da União Europeia.

O Certificado Digital é válido se tiver sido totalmente vacinado contra COVID-19, tiver recuperado recentemente de uma infecção covid-19 ou tiver testado negativo para o vírus. O certificado será obrigatório para acesso aos locais designados a todos os maiores de 13 anos.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Inquilinos Com Mais Problemas Financeiros que Proprietários

Imagem Gerd Altmann via Pixabay

 

Os inquilinos costumam estar com a conta  bancária a descoberto e pagam as suas facturas em atraso com mais frequência do que as pessoas que são proprietárias de uma casa. Isso é o que RaboResearch dá a conhecer num estudo publicado no jornal económico ESB.

Além disso, as pessoas costumam adiar a vida de casal ou a começar uma família mais tarde por causa da falta de um lar adequado, afirma o banco ING num outro estudo e está a tornar-se cada vez mais difícil para casais divorciados encontrar um novo lar, afirmam Scheidingsexpert Nederland e Van Bruggen Adviesgroep. No fundo, está a tornar-se difícil viver tranquilamente nos Países Baixos.

Preocupações Financeiras

Proprietários de casas são uma vez e meia mais propensos a dizer que regularmente tiveram dinheiro a sobrar no final do mês do que inquilinos, de acordo a pesquisa do RaboResearch a 1.447 pessoas que vivem de forma independente. Os inquilinos também têm o dobro de probabilidade de dizer que tiveram que usar as suas economias para despesas fixas ou diárias.

"Em relação aos proprietários de casas, os inquilinos estão mais frequentemente preocupados com dinheiro", disse Nic Vrieselaar, economista da RaboResearch na NOS Radio 1 Journaal . "Eles estão a ter mais problemas para pagar as contas e aparentemente estão também mais preocupados com isso."

Essas diferenças não podem ser explicadas pelo facto de que os inquilinos têm um rendimento mais baixo do que os compradores, dizem os pesquisadores. “Levamos em consideração, por exemplo, diferenças de despesas, idades e composição familiar e mesmo assim você vê que as diferenças entre inquilinos e proprietários permanecem”, diz Vrieselaar.

Taxas de Juro e Valor das Rendas

A pesquisa diz que os valores das rendas, especialmente no sector livre, estão muito altas, tornando os inquilinos mais vulneráveis ​​financeiramente. Os inquilinos gastam uma parte maior do seu rendimento com despesas de moradia, concluiu a Centraal Bureau voor de Statistiek. Mesmo se você incluir os custos de manutenção mais elevados que os proprietários têm de lidar. Despesas que os inquilinos, em princípio, não tem.

Além disso, as rendas geralmente aumentam a cada ano, enquanto a queda nas taxas de juros ao crédito significam que os proprietários podem sempre renegociar as suas hipotecas fazendo baixar os custos mensais.

A pesquisa do RaboResearch também mostra que os inquilinos são mais propensos a dizer que a sua renda aumentou nos últimos doze meses, enquanto as despesas mensais dos proprietários caíram com mais frequência. Segundo Vrieselaar, uma possível parte da solução é reduzir a dedução dos juros da hipoteca no IRS, o que vai diminuir a diferença entre locatários e proprietários.

Adiar a Família

Os preços das casas estão também a subir rapidamente. No segundo trimestre deste ano, o preço de uma casa no país rondava os 410.000 euros em média, quase 20 por cento a mais que no ano anterior, de acordo com os dados da associação imobiliária NVM. O aumento dos preços tem impacto tanto sobre os inquilinos como sobre os compradores, afirma o ING num estudo.

As pessoas adiam a vida a dois ou a constituição de família por falta de um lar adequado. 19 por cento dos potenciais compradores pesquisados ​​pelo ING afirmaram inclusive que não conseguiam viver de forma independente devido ao mercado imobiliário apertado.

Divorciados

Os preços crescentes também causam problemas para casais divorciados, diz a organização de mediação Scheidingsexpert Nederland e Van Bruggen Adviesgroep em comunicado à imprensa. Devido ao aumento do valor patrimonial, na prática torna-se cada vez mais difícil para os casais divorciados comprarem a parte do ex-parceiro(a).

Encontrar um novo lar após o divórcio também é um grande desafio, dizem eles. Alguns jovens casais que se divorciam ainda têm a opção de viver com os pais, escrevem as organizações. Isso é menos comum a casais mais velhos que se divorciam.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

Horário das Lojas em Risco

Imagem de Pexels por Pixabay

 

Muitos lojistas duvidam da continuação da noite de compras, a chamada "koopavond", devido à falta de candidatos para preencher as vagas disponíveis. Também se questiona se as lojas devem continuar abertas ao domingo e à segunda-feira. Foram estes os receios de Jan Meerman, director da associação de lojistas INretail.

De acordo com Meerman, metade dos lojistas tem muita dificuldade para preencher as vagas. Segundo ele, há vagas que estão abertas por vários meses. “Eles enfrentam um problema contínuo de falta de ocupação de vagas”, diz Meerman.

O horário das lojas deve ser por isso adaptado à ocupação dessas vagas, segundo o director. Os lojistas estão assim a optar por fechar em horários menos movimentados, como no período das compras da noite, domingo e segunda-feira.

Uma pesquisa de mercado da RMC, que monitora as multidões nas ruas comerciais, deu a conhecer no início desta semana que tem estado menos movimentado nos fins de semana desde o inicio da pandemia e que as compras no período nocturno e aos domingos foram particularmente afectados. O número de transeuntes nas ruas comerciais continua em valores muito inferiores aos que se viam antes da crise corona.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.
 

UWV Continua a Errar. Beneficiários Não Serão Prejudicados

(CC BY-SA 4.0)

 

Parece impossível, mas quase que não passa um mês em que não se encontre um erro na atribuição de subsídios pela UWV, a entidade responsável pelo pagamento dos benefícios sociais. Dizem respeito a 2 milhões de euros nos últimos dois anos, atingindo cerca de 1.200 beneficiários.

 

Cerca de 1.200 pessoas receberam um valor mais alto de subsídios da UWV nos últimos dois anos, mostrou uma pesquisa interna realizada na semana passada. Segundo a UWV, os beneficiários afectados não terão de devolver o excesso recebido.

A maioria são pessoas que recebem os subsídios WW (desemprego) em simultâneo com ZW (doença) ou WAZO (licença de parto). O subsidio ZW ou WAZO são deduzidos do subsidio de desemprego, o que não aconteceu com cerca de 1.200 pessoas nos últimos dois anos.

"A UWV normalmente reclama o valor pago em excesso", mas verificou-se que algumas pessoas procederam ao contacto com a entidade com queixas de pagamento excessivo de dinheiro mas que não receberam uma resposta adequada. "A essas pessoas portanto, não podem ser atribuídas culpas por isso", disse a UVW.

Além disso, o impacto para as pessoas pode ser significativo devido às consequências fiscais e às possíveis consequências para a saúde e subsídio de habitação", uma vez que todos os rendimentos são tomados em conta pelo Belastingdienst no cálculo do IRS. "O período em que foi recebido demasiado subsidio também está há um ou dois anos atrás", o que obrigaria estas pessoas a pedirem uma substituição de declaração de rendimentos dos anos anteriores e a um novo cálculo de IRS por parte da autoridade tributária, um processo demorado e burocrático. "Por estes motivos, UWV decidiu não buscar reembolso", informou a entidade

Desde o início deste ano, a UWV vem realizando verificações extraordinárias para evitar erros como este no futuro.

 

Portugueses na Holanda sempre informou a sua comunidade gratuitamente e sempre o irá fazer no futuro.
Mas o futuro coloca também desafios, que só com a ajuda dos nossos leitores, conseguem ser superados.
Iniciamos assim a subscrição de apoiantes da nossa plataforma, onde por um pagamento mensal recorrente podem apoiar o crescimento desta plataforma. Esse pagamento poderá ser cancelado sempre que quiserem.